"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


sexta-feira, 31 de julho de 2009

SARA KALI
Antoine Locadour, 74 anos, historiador, I.C.P.,
França


É fácil identificar Sarah como mais uma das muitas
virgens negras que podem ser encontradas no mundo. Sara-la-
Kali, diz a tradição, vinha de uma nobre linhagem, e conhecia
os segredos do mundo. Seria, no meu entender, mais uma das
muitas manifestações do que chamam a Grande Mãe, a Deusa da
Criação.
E não me surpreende que cada vez mais pessoas se
interessem pelas tradições pagãs. Por quê? Porque o Deus Pai é
sempre associado com o rigor e a disciplina do culto. A Deusa
Mãe, pelo contrário, mostra a importância do amor acima de
todas as proibições e tabus que conhecemos.
O fenômeno não é novidade: sempre que a religião
endurece suas normas, um grupo significativo de pessoas tende
a ir em busca de mais liberdade no contato espiritual. Isso
aconteceu durante a Idade Média, quando a Igreja Católica
limitava-se a criar impostos e construir conventos cheios de
luxo; como reação, assistimos ao surgimento de um fenômeno
chamado “feitiçaria”, que, apesar de reprimido por causa de
seu caráter revolucionário, deixou raízes e tradições que
conseguiram sobreviver todos estes séculos.
Nas tradições pagãs, o culto da natureza é mais
importante que a reverência aos livros sagrados; a Deusa está
em tudo, e tudo faz parte da Deusa. O mundo é apenas uma
expressão de sua bondade. Existem muitos sistemas filosóficos
— como o taoísmo ou o budismo — que eliminam a idéia da
distinção entre o criador e a criatura. As pessoas não tentam
mais decifrar o mistério da vida, e sim fazer parte dele;
também no taoísmo e no budismo, mesmo sem a figura feminina, o
princípio central afirma que “tudo é uma coisa só”.
No culto da Grande Mãe, o que chamamos de “pecado”,
geralmente uma transgressão de códigos morais arbitrários,
deixa de existir; sexo e costumes são mais livres, porque
fazem parte da natureza, e não podem ser considerados como
frutos do mal.
O novo paganismo mostra que o homem é capaz de viver
sem uma religião instituída, e ao mesmo tempo continuar na
busca espiritual para justificar sua existência. Se Deus é
mãe, então tudo que é necessário é juntar-se e adorá-la
através de ritos que procuram satisfazer sua alma feminina —
como a dança, o fogo, a água, o ar, a terra, os cantos, a
música, as flores, a beleza.
A tendência vem crescendo de maneira gigantesca nos
últimos anos. Talvez estejamos diante de um momento muito
importante na história do mundo, quando finalmente o Espírito
se integra com a Matéria, os dois se unificam, e se
transformam. Ao mesmo tempo, estimo que haverá uma reação
muito violenta das instituições religiosas organizadas, que
começam a perder fiéis. O fundamentalismo deve crescer, e
instalar-se em todos os cantos.
Como historiador, me contento em coletar dados e
analisar esta confrontação entre a liberdade de adorar e a
obrigação de obedecer. Entre o Deus que controla o mundo e a
Deusa que é parte do mundo. Entre as pessoas que se unem em
grupos em que a celebração é feita de modo espontâneo, e
aquelas que vão se fechando em círculos onde aprendem o que
deve e o que não deve ser feito.
Gostaria de estar otimista, de achar que finalmente
o ser humano encontrou seu caminho para o mundo espiritual.
Mas os sinais não são tão positivos assim: uma nova
perseguição conservadora, como já aconteceu muitas vezes no
passado, pode sufocar novamente o culto da Mãe.
In: A Bruxa de Portobello.Pág:265

BUSCA


Flores foram colidas em meus caminhos
Eu as plantei.
Mas não as plantei para mim
Plantei para os passantes
Para que elez levassem um pedaço
Do meu Milagre aonde quer que fossem

Eu procurei ser curada
E acabei tornando me sábia maga
Para curar aqueles que a Mãe colocou em meu caminho

Eu procurei os tecidos de seda
Da Alta Sacerdotisa

E me derram roupa negra de maga
de Feiticeira....
Eu procurei aprender
E acabei ensinando
Eu procurei mestres
E me tornei mestra

Eu procurei amor
E ganhei a sabedoria
Eu procurei a juventude
E ganhei a maturidade
Por fim finalmente eu conclui
Que tudo o que eu procurava
Estava bem na minha frente
Na sabedoria da Grande Mãe.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

O QUE EU SOU

Eu vou até o fim.Foi o que Gaia disse as vozes.Para alem da vida e para alem da morte eu vou até o fim.Mesmo que eu cometa erros imperdoaves eu vou até o fim.E vou fazer tudo o que posso e não posso para ensinar aquilo que sinto no meu corpo e na minha alma.Sei que posso acabar me destruindo manifestando tudo o que sou.Sei que sou um demónio.Sou filha de Lilith e sei disso.Mas Deixar de manifestar todo o prazer o e amor que eu sinto durante o transe seria o meu mais letal pecado.contra mim mesma e contra minha alma.Eu irei até o fim.Eu falei com meu irmão que era um falso que tentou me afastar da Deusa com sua falsa sabedoria e com sua inveja.Como eu acreditava nele que se fingia possuído por feiticeiras poderosas do passado.Eu vou voltar a falar com ele embora eu nunca mais confiarei nele.Sempre me levarei a duvidar tudo o que ele disser:Eu mesma acabei de ligar a Ele e disse que voltaria a falar com ele desde que el nao me disse se o que fazer nem como me comportar,nem como eu deveria trabalhar.Tentando me afastar de mim mesma e da minha verdade interior.Maldito seja!
Mas eu o perdoo principalmente porque eu descobri que ele sente inveja de mim e do meu jeito de ser.Sente inveja das coisas que sinto quando respiro profundo,senti inveja da minha pele morena e meu cabelo liso e negro . Porque ele sente inveja eu não intendo! Eu não sou bonito ,sempre me considerei meio estranho.Minha única beleza foi meu magnetismo pessoal,meu ser incontrolável e minha força de atrair a atenção de todas as pessoas.Vou ensinar tudo aquilo que aprendi com a Deusa ..... Por outros lado eu me sinto triste por ele gostaria de ajuda lo de guia lo na noite escura.Eu o amo porque ele é o meu irmão.Não me importo que ele tenha me traído e mentido para mim,eu o perdoo e quero que seja feliz.Agora me dou conta de outra coisa que me foi designada nesta vida.Ajudar meus parentes,sempre fui boa conselheira e vou ajudar meu irmão mesmo que ele tenha feito isto comigo.A culpa no final é da ignorância e não dele. Ele é meu irmão mais velha mas age como uma criança.Eu o amo e vou ajuda lo porque assim eu vou participar de algo mais importante.Mas quero a minha historia pessoal e não quero viver na sombra de ninguém.Também amanha ligarei para meu pai(que me ama a seu modo) e pedirei o dinheiro que ele me deve.Vou comprar os livros que prometi a mim mesma. Vou tirar minha foto três por quatro e levar para a maldita biblioteca para poder pegar meus livros.Vou entrar naquele curso gnóstico que minha mãe não deixou porque achava que eu tinha que me preocupar com coisas mais importantes.Ela prometeu me pagar um curso mas não preciso nem usar o Dom para saber que nunca irá faze lo.Assim que eu atingir a maior idade sairei de casa e nunca mais porei os pés nela novamente.Quero viver intensamente.Quero viver todo o meu potencial e minha beleza interior.Eu só espero ser perdoada caso nesse processo eu fira a alma de alguém.Mas quero viver todos os caminhos de uma vez.Quero escolher as quatro tradições sem me importar com as consequencias.Ah quem dirá :"isto é loucura irá destruir a si mesma"
Eu sei disso mas ao mesmo tempo estou cansada de viver com a alma aprisionada dentro de uma gaiola.Ver o tempo passar e ver toda a minha beleza desperdiçada ,esperando abrir,quem sabe um lugar espiritual,sendo que eu já tenho a força para agora.Esperando que me estendão a mão.Cansei de depender de decisões alheias.Hoje me lembrei que tenho alma.hoje me lembrei que tenho atma sede de vida....Não quero me esquecer....Quando durmo no outro dia já me esqueço de todas as coisas que senti a energia prazerosa e divina sobre o meu corpo.Não quero me esquecer novamente.Quero ir até o fim da minha historia.Para deixar minha marca no mundo.Pode ser que quando eu acorde amanhã esteja calma e me esqueça do que é estar viva agora.Mas nesse momento deixo a minha marca no mundo escrevendo isso.E quem sabé no futuro minha historia será lembrada...
E quem sabé a sua tambem?
Mas eu sei que nossas historias humanas são como marcas na areia da praia:as ondas do tempo vem e apagam tudo.Mas eu já não sinto vontade de ser amada.pela primeira vez eu estou apenas curtinto o processo.Mas eu quero amar intensamente tudo e todos a minha volta.Amo quem quer que leia isso porque sinto que sou capaz de amar qualquer coisa viva.Amo você portanto e digo sinceramente.Pode ser que tudo não passe de um delirio momentaneo mas não é o homem um proprio delirio na cabeça de Deus?

Sou muitas coisas,bruxa,sacerdotisa,maga,prostituta ,homem e mulher.
Sou estranha.Foi o que mais ouvi em 15 anos."que criança estranha ,rbincando sozinha com flores dizendo que são fadas de mundos ocultos...." "Que garoto estranho sempre calmo e gentil como uma mulher"...ou "Nem parece um homem com jeito suave e feminino"
Ou ainda:
"Pare de ficar olhando as coisas e dizendo que elas mudam de cores...."
Só agradeço uma coisa na minha sorte:Não ser cristã.

UM ASSUNTO TRIVIAL...

DA ESSÊNCIA DA ALTA SACERDOTISA....

Por um motivo que só a Deusa sabe eu nunca consegui firmar a aparência desse blog.Sempre acabo mudando alguma coisa muda a cor do blog toda boto plano de fundo azul escura lilás roxo e por ai vai....Também mudo as imagem ou desloco o assunto mais sempre mantendo o Feminino Sagrado em foco.Creio que sou muito cíclica e todo mundo disse que o layout anterior estava lindo mas eu tenho aquele bichinho futucador e decidi mudar as imagem o fundo as cores e outras coisas.Procuro na medida do possível manter este blog o mais simples possível embora seja difícil.Só uma coisa é certa; eu não mudarei o nome deste blog, por mais que eu queira.Sempre tentei outros nomes como Magna Dea,Stella Maris e outros títulos da Deusa mas não consegui.Sempre que tento acabo mudando de ideia e coloco A Alta Sacerdotisa denovo.Creio portanto que nunca poderei mudar o nome do blog.Será a Alta Sacerdotisa enquanto eu viver.
Gostaria de poder me contentar com um único modelo como Rosa Leonor ou Anna Paim fazem mas simplesmente não consigo,sou muito cíclica e meu blog acompanha meus ciclos.Portanto peço que nunca se acostumem com uma determinada imagem de meu blog porque ele esta sempre a mudar...(pro bem se possível!)

Morgana fala...

Em vida,chamaram-me de muitas coisas: irmã, amante, sacerdotisa, maga, rainha. Na verdade cheguei agora a ser maga e poderá vir um tempo em que tais coisas devam ser conhecidas.Verdadeiramente, porém creio que os cristãos dirão a última palavra.O Mundo das fadas afasta-se cada vez mais daquele em que Cristo predomina.Nada tenho contra Cristo,apenas contra os seus sacerdotes,que chamam a Grande Deusa de Demônio e negam o seu poder no mundo.Alegam que,no máximo esse poder foi de Satã.Ou vestem-na com o manto azul da Senhora de Nazaré - realmente poderosa,ao seu modo -, que,dizem,foi sempre virgem.Mas o que pode uma virgem saber das mágoas e labutas da humanidade?
E agora que o mundo está mudado e Artur - meu irmão,meu amante,rei que foi e rei que será - está morto(o povo diz que ele dorme) na ilha sagrada de Avalon, é preciso contas as coisas antes que os sacerdotes do Cristo Branco espalhem por toda parte seus santos e suas lendas.
Pois,como disse,o próprio mundo mudou.Houve um tempo em que um viajante, se tivesse disposição e conhecesse apenas uns poucos segredos,poderia levar sua barca para fora, penetrar o mar do Verão e chegar não ao Glastonbury dos monges,mas à ilha sagrada de Avalon; isso porque, em tal época, os portões entre os mundos vagavam com as brumas e estavam abertos, um após o outro, ao capricho e ao desejo do viajante.Esse é o grande segredo , conhecido por todos os homens cultos de nossa época: pelo pensamento criamos o mundo que nos cerca,novo a cada dia.
E agora os padres, acreditanto que isso interfere no poder de seu deus, que criou o mundo para ser finitamente imutável, fecharam os portões (que nunca foram portões, exceto na mente dos homens), e os caminhos só levam à ilha dos padres, quer eles protegeram com o som dos sinos de suas igrejas, afastando todos os pensamentos de um outro mundo que vive nas trevas. Na verdade,dizem eles,se aquele mundo realmente existe, é propriedade de Satã e a porta do inferno,se não o próprio inferno.
Não sei o que o deus dele poder ter criado ao não.Apesar das histórias contadas, nunca soube muito sobre seus padres e jamais usei o negro de uma de suas monjas-escravas.Se os cortesãos de Artur em Camelot fizeram de mim este juízo, quando lá fui (pois sem usei roupas negas da Grande Mãe em seu disfarce de maga), não os desiludi. E na verdade, ao final do reinado de Artur, teria sido perigoso agir assim, e inclinei a cabeça a conveniência como nunca teria feito a minha grande senhora, Viviane Senhora do Lago, que depois de mim foi a maior amiga de Artur, para se transformar mais tarde em sua maior inimiga, também depois de mim.
A luta, porém, terminou. Pude finalmente saudar Artur, em sua agonia, não como meu inimigo e o inimigo de minha Deusa,mas apenas como meu irmão e como um homem que ia morrer e precisava da ajuda da Mãe, para qual todos os homens finalmente voltam. Até mesmo os sacerdotes sabem disso, com sua Maria sempre-virgem em seu manto azul, pos ela, na hora da morte, também se transforma na Mãe do Mundo.
E assim, Artur jazia enfim com a cabeça em meu colo, vendo-me não como irmã, amante ou inimiga, mas apenas como maga, sacerdotisa, Senhora do Lago; descansou, portanto, no peito da Grande Mãe, se onde nasceu, e para quem, como todos os homens tem de finalmente voltar. E talvez - enquanto eu guiava a barca que o levava, desta vez não a ilha dos padres, mas a verdadeira ilha sagrada no mundo das trevas, que fica além do nosso, para a ilha de Avalon,aonde agora poucos, além de mim, poderiam ir - ele estivesse arrependido da inimizade surgida entre nós.
Ao contar esta história, falarei por vezes coisas que ocorreram quando eu ainda era demasiado jovem para compreendê-las ou quando não estava presente.Meu leitor fará uma pausa e dirá,talvez: "Esta é a sua magia".Mas eu sempre tive o dom da Visão, de ver o interior da mente de homens e mulheres; e, durante todo esse tempo, estive perto de todos. Assim, por vezes, tudo o que pensavam era do meu conhecimento, de uma forma ou de outra. Por isso, contarei esta história.
Um vez também os padres a contarão, tal como a conhecem. Talvez entre as duas se possam perceber alguns lampejos de verdade.
O que os sacerdotes não sabem, com o seu Deus Uno e a sua Verdade Única, é que não existe história totalmente verdadeira. A verdade tem muitas faces e assemelha-se à velha estrada que conduz a Avalon; o lugar para onde o caminho nos levará depende da nossa própria vontade e de nossos pensamentos, e talvez, no fim, cheguemos à sagrada ilha da eternidade, ao aos padres, com seus sinos, sua morte, seu Satã e o inferno e danação... Mas talvez eu seja injusta com eles. Até mesmo a Senhora do Lago, que odiava a batina do padre tanto quando teria odiado a serpente venenosa, e com boas razões, censurou-me certa vez por falar mal do deus deles.
Todos os deuses são um só Deus, disse ela, então como já dissera muitas vezes antes, e como eu repeti para minhas noviças inúmeras vezes, e como toda sacerdotisa, depois de mim, há de dizer novamente, "e todas as deusas são uma só Deusa, e há apenas um iniciador, E a cada homem a sua verdade, e Deus com ela."
Assim, talvez a verdade se situe em algum ponto entre o caminho para Glastonbury,a ilha dos padres, e o caminho de Avalon, perdido para sempre nas brumas do mar do Verão.
Mas esta é a minha verdade; eu, que sou Morgana, conto-vos estas coisas,Morgana, que em tempos mais recentes foi chamada Morgana, a Fada.

In:As Brumas de Avalon pág:13, prólogo.

A JOVEM PERSÉFONE


MULHER-PERSÉFONE

É provável que a mulher-Perséfone não impressione no primeiro encontro, mas ela também não tem a pretensão de se afirmar intensamente. Não possui a solidez de propósito de Artemis, nem conta com o terreno firme onde pisa a Hera. Mas há uma peculiaridade na mulher-Perséfone, uma qualidade que lhe é inata, a sua vulnerabilidade espiritual. Em sua fragilidade, percebe-se o anseio por afeição e intimidade profunda. Esta mulher é envolta por uma aura de mistérios. O seu mundo é paranormal, mas ela se sente atraída pelos ensinamentos da metafísica mais do que pelas ciências naturais convencionais. Tão poderosa é a autoridade domaterialismo científico de nossas universidades e considerada excêntrica ou alienígena para muitos.
Para os gregos, Perséfone era a Rainha distante do Mundo Avernal, que vigiava a alma dos mortos. Ma ela era conhecida também como a virgem donzela Coré, que foi seqüestrada de sua mãe, Deméter. Sua descida ao mundo avernal ao ser raptada por Hades é uma das histórias mais conhecidas de toda a mitologia grega. Mas o que é avernal? Na linguagem da psicologia moderna, seria chamado de inconsciente. De modo que Perséfone é aquela que foi sorvida não apenas pelo inconsciente, pelo desconhecido, por tudo o que é reprimido e sombrio (Freud), mais ainda mais profundamente pelo inconsciente coletivo, o mundo das potestades e poderes arquetípicos (Jung).
Uma mulher pode vivenciar isto de diversas maneiras: uma tragédia na infância, a perda de uma pessoa da família ou de um grande amor. Compreender o significado da descida de Perséfone é particularmente urgente nos dias de hoje. Muitas mulheres e homens, estão descobrindo seus talentos mediúnicos e sua aplicação na leitura dos tarôs, nas curas espirituais, meditações, etc.


Mas passar a maior parte da vida "entre espíritos" pode exercer uma enorme pressão psíquica, especialmente quando suas habilidades sejam erroneamente interpretadas ou temidas. Mais do que qualquer outra deusa, a mulher-Perséfone pode sofrer uma profunda alienação, que pode levá-la a um colapso. É importante que busque as suas deusas irmãs para ajudar a equilibrá-la. De Deméter, talvez precise do senso do corpo e da terra para trazê-la a colocar os pés no chão. De Atena, uma certa objetividade acerca de seu potencial e assim por diante.
Nós bruxas estamos classificadas na mulher-Perséfone. Quando a Igreja perseguiu nossas irmãs bruxas, ela também suprimiu a antiga sabedoria da Deusa. O que se perdeu foi o segredo da Perséfone madura, a sabedoria daquela que conhece os mecanismos da vida e da morte, as energias que determinam as estações, a sexualidade e o nascimento, daquela que compreende o hiato entre os dois mundos.A Perséfone madura ressurgi de algum modo do mundo espiritual, ainda que permaneça em contato com ele. Ela torna-se feiticeira, uma mulher sábia, alegre e bem humorada, que acha engraçada e divertida toda a loucura humana. E, mesmo quando anciã, ainda preserva toda sua juventude e, como uma jovem iniciada, traz consigo a jubilosa sabedoria dos anos.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

A FORÇA DA GRANDE MÃE


Cybele


Cybele, originalmente uma deusa Frígia e Hitita, foi uma deificação da Mãe Terra, venerada em toda a Anatólia desde os tempos Neolíticos. Como Gaia ("a Terra") ou Ema , sua equivalente Minóica, Cybele personifica a Terra fértil, e se apresenta como uma deusa de cavernas e montanhas, muros e fortalezas, natureza e animais selvagens (especialmente leões, touros e abelhas).

O seu título grego antigo, Potnia Theron, também associado com a Grande Mãe da civilização Minóica, alude às suas raízes Neolíticas como "a Senhora dos Animais". Ela é também uma divindade de renascimento e morte, alusiva à ressurreição do seu filho e cônjuge, Attis.

O culto de Cybele na Grécia associou-se estreitamente com, e ao que parece pareceu-se, o culto posterior de Dionysus, quem se diz que Cybele tenha iniciado e tenha curado da loucura de Hera. Eles também identificaram Cybele com a Mãe dos Deuses Rhea.

Na Ema-Cybele Frigia foi venerada como Agdistis, com um templo na grande cidade comercial de Pessinos, mencionado pelo geógrafo Strabo.

A adoração de Cybele estendeu-se da Anatolia e Síria à costa do Mar Egeu, a Creta e outras ilhas Egéias, e à terra firme a Grécia.

A fé Cybelina foi a primeira das religiões de mistério. As religiões de mistério ensinam com histórias, jogos de iniciação e tradições orais. Várias histórias sobre Attis, o filho/filha e cônjuge de Cybele, apareceram em volta do mesmo tempo que as origens das histórias mitológicas gregas.

O seu culto moveu de Phrygia à Grécia do 6o ao 4o século BCE. Em 203 BCE, Roma adotou o seu culto também.


Gallae, sacerdote de Cybelle

Da mesma forma que os demais sacerdotes das diversas manifestações da Deusa-Mãe, os sacerdotes de Cybele – chamados de Gallae – também eram predominantemente machos que se auto-castravam em ritual, adotando roupas de mulher e assumindo a identidade "feminina" para toda a vida. Dentro do culto a Cybele, a castração ritual estava associada com a religião de mistério acerca do seu filho e consorte, Attis, que foi castrado, morreu das suas feridas, e foi por ela ressucitado.

Para devotos romanos da Mãe de Cybele Magna que não estavam preparados para ir tão longe, os testículos de um touro, um dos animais sagrados da Grande Mãe, foram um substituto aceitável, como demonstram muitas inscrições da época. Uma inscrição de 160 CE registra que certo Carpus transportou testículos de um touro de Roma ao relicário de Cybele em Lyon, na França.

Cybele em Roma


Cybelle e Attis

A história da presença de Cybele em Roma começa por volta do sexto século aC, na alvorada da história romana. Segundo a história, uma velha mulher, carregando nove rolos de pergaminho com as profecias da Sibila, veio ao encontro de Tarquinius Sétimo (e último), o lendário Rei de Roma. Ela lhe pediu trezentas partes de ouro, mas Tarquinius achou que ela fosse uma fraude e se recusou. Ela então queimou três dos rolos que trazia e novamente ofereceu os restantes ao Rei, pelas mesmas trezentas partes de ouro. Mais uma vez Tarquinius recusou-se. Novamente ela queimou mais três rolos de papel. Quando ela ofereceu os três rolos restantes pelas mesmas trezentas partes de ouro, Targuinius suspeitou que ele estava diante da própria Sibila de Cumae e aceitou. Essas foram as profecias Sibilinas originais de Roma. Elas foram alojados nos templos Capitolinos e consideradas os livros mais sagrados de Roma, cusso acesso era limitado a um sacerdócio especialmente treinado que só os consultava em tempos de ameaça a Roma.

Tal ameaça a Roma veio durante as segundas Guerras Púnicas. Os rolos das profecias Sibilinas foram consultados e foi descoberto que um inimigo estrangeiro seria derrotado se a Magna Mater fosse trazida a Roma. Segundo a profecia, Roma não só resistiria ao ataque inimigo, mas prosperaria. A Sibila de Delfos confirmou que a salvação de Roma seria obtida com a chegada de Cybele a Roma.


Cybelle

Uma versão arcaica de Cybele, foi ceremoniosa e reverentemente

trazida de Pessinos, na Frígia, chegando a Roma em 12 de abril de 203 aC, onde foi recebida com festas e consagrada como a Magna Mater ou "Grande Mãe", tendo sido instalada no Templo da Vitória, no Palatino. Essa data foi observada posteriormente como um festival, o Megalesian, até meados do quarto século dC, com jogos, festivais e festas.

Naquele Verão, Scipio derrotou Hannibal e com isso a devoção de Roma a Cybele foi consolidada. O Maetreum no Palatino foi dedicado a ela em 194 aC.

Debaixo do imperador Augusto, Cybele gozou de grande proeminência graças à sua inclusão na ideologia Augusta. Augusto restaurou o templo de Cybele, que foi localizado ao lado do seu próprio palácio na Colina Palatina.

A devoção romana a Cybele consolidou-se fortemente. A fé Cybelina permaneceu a única religião "oficial" de Roma até a introdução do Mithraismo. Assim, não foi por mera coincidência que uma basílica cristã foi construída por cima do lugar do templo dedicado a Cybele, sendo rebatizado como a Basílica di Santa Maria Maggiore.

Até ao fim do quarto século e o começo do quinto houve uma tentativa por atacado de apagar totalmente todas as estátuas, escritas, templos e memória de Cybele, Mãe de Magna da cara da terra. Mesmo hoje os eruditos referem-se "ao culto" da Deusa de Mãe que inintencionalmente continua uma tradição da negativa de uma fé que se tinha estendido e foi a religião principal do mundo ocidental conhecido!

Em 284 dC o Império Romano dividiu-se em Império romano do Ocidente e Império Romano do Oriente. Até ao fim do terceiro século dC os Romanos estiveram “nas cordas” o tempo todo. O quarto século veria a subida do catolicismo romano, com a substituição de uma Deusa de Mãe por um deus pai, num claro retrocesso para a humanidade. Agonizava assim o culto a Cybele, que tinha sido a religião oficial de Roma por quase 600 anos e também uma parte muito importante da paisagem religiosa do mundo daquela época.
Era o começo da supressão assassina do Divino Feminino e a destruição por atacado todo o conhecimento antigo na ardência da Biblioteca da Alexandria, incendiada por turbas cristãs fanáticas.

IN: http://www.leticialanz.org/crossdressing_sagrado/deusa-mae.htm

domingo, 26 de julho de 2009

ZEUS E HERA


Zeus e Hera representam respectivamente a luta entre o masculino e o feminino,o patriarcado e o matriarcado.Zeus simboliza um masculino imaturo e não formulado que deseja afirmar se através de seus feitos e por sua capacidade de subjugar,deuses e homens sob sua autoridade.Já a Deusa Hera herdeira de uma sabedoria matriarcal interior e anterior ao patriarcado representa uma mulher completa,madura em criatividade e que já atingiu seu auge espiritual e físico,ela é geralmente representada como uma mulher jovem mas com o corpo totalmente formando,portando assim um aspecto um tanto indefinível como o de toda a Deusa primordial.Também possui uma faceta de Anciã quando seu consorte anterior,Heracles(literalmente "milagre de Hera"),morre no ciclo do ano semelhante a Roda do Ano celta.Quando os valores femininos do matriarcado pedem importância por advento do patriarcado a figura de Hera,a antiga Deusa Soberana é destronada e reduzida a uma casta esposa de Zeus.Torna se então uma Deusa do casamento,juntamente com sua filha Hebe antes uma Deusa que a ajudava em ritos sagrados,representando assim todas as mulheres que assediam ao cargo de sacerdotisas da Deusa,torna se uma deusa-empregada uma deusa que nada faz a não ser limpar o Olimpo de Zeus. Mas tarde este mesma Deusa Hebe se torna uma consorte de Hércules(distorcido pelo patriarcado Heracles se torna Hércules o filho de Zeus,o menino herói tão cego e patriarcal quanto Zeus).Me pergunto se seria essa uma tentativa mesmo que secundaria de unir os princípios masculinos e femininos.Voltando a raiz do assunto vemos que a Deusa realmente não se casou com Zeus,jamais se casara consentida mente e sim a força.Actualmente a mulher-Hera tanto pode representar o feminino subjugado pela sociedade patriarcal,quanto pode simbolizar o feminino sábio e maduro,portanto assim a sabedoria da verdadeira face de Hera.


PS:a imagem a cima é tão linda não é mesmo?Mas sinceramente duvido que Hera tenha cedido tão brandamente a Zeus quanto na imagem a cima....

sexta-feira, 24 de julho de 2009

MISTÉRIOS OBSCUROS DA DEUSA

OS MISTÉRIOS DO SANGUE E DA LUA

Os Mistérios Obscuros tratam da natureza oculta das coisas e da essência secreta tanto das coisas físicas como das espirituais. O mito dos Mistérios Obscuros se reflete em mitos como os de Deméter e Perséfone, mas também em Cailleach e Brigid. Cailleach seria associada a Perséfone, que representa a semente que desce às trevas, para que sua energia e juventude seja despertada. Como terra, Cailleach representa a força misteriosa que faz a semente hibernar durante o inverno, para depois despertá-la e conduzi-la à renovação na Primavera.
Nos Mistérios Ocultos, a Deusa Cailleach aparece como Aquela que traz a Vida e a Morte, é a Criadora e Destruidora. É ela que cria as tempestades, a chuva e o orvalho, os quais podem tanto ser benéficos quanto destrutivos, especialmente para as comunidades agrícolas. E, do mesmo modo que a Deusa envia a água, ela envia para nós mulheres o fluxo do sangue menstrual. Encontramos sempre nos líquidos a presença mística da Deusa. Pois saiba, que a ligação essencial dos Mistérios da Deusa com as mulheres sempre ocorrerá através dos fluidos, seja simbólica ou fisicamente. O inconsciente está associado ao elemento água, assim como as emoções em geral, e estas por sua vez estão associadas à natureza feminina.
Onde os Mistérios Femininos não refletem a psique de algum modo, eles podem ser encontrados em associações com os fluidos corporais das mulheres. Um dos aspectos da Antiga Religião era o de objetos serem abençoados através do contato ou inserção na vagina de uma mulher nua deitada sobre o altar. Esta antiga prática foi distorcida pelos princípios judaico-cristãos e transformadas em obscenidades pervertidas.
O corpo da mulher na sociedade matrifocal era considerado um altar vivo, pois possuía o poder de dar a luz e alimentar uma nova vida. O sangue menstrual, chamado de sangue da Lua, era utilizado como marcas rituais em cerimônias de iniciação e ritos. O sangue até hoje é usado em rituais de índios americanos, que costumam unir seu sangue ao de outro para criar vínculo entre os dois. Assim sendo, a Suma Sacerdotisa do clã podia unir as almas de todos os membros através do sangue menstrual. Ungir os mortos com sangue menstrual era assegurar seu retorno à vida. É graças a estas remotas associações que hoje o vinho é visto como o Sangue de Deus.
O maior dos Mistérios Obscuros está concentrado no Sangue Menstrual, use-o em seus rituais.


quinta-feira, 23 de julho de 2009

SENHORA DO INVERNO

A Deusa Cailleach – Rainha da Tempestade

Cailleach fala:


Meus ossos são frios, meu sangue é ralo.
Eu busco o que é meu. O busco o que ainda não foi semeado. Eu busco os animais para cavernas quentes e mando meus pássaros para o sul. Eu ponho meus ursos para dormir e mudo o pelo de meus gatos e cães para algo mais quente. Meus lobos me guiam, seu uivo anuncia minha chegada. Os cães, lobos e raposas cantam a canção da noite, a serenata da Anciã, a minha canção.
Eu disse sim à vida e agora digo sim à Morte. E serei a primeira a ir para o outro lado.
Eu trago o frio e a morte, sim, pois este é meu legado. Eu trouxe a colheita e se você não colheu suas maçãs eu as cobrirei de gelo. Após o Samhain, tudo o que fica nos campos me pertence
.

Cailleach é a própria terra. Ela é as rochas cobertas de musgo e o pico das montanhas. Ela é a terra coberta de gelo e neve. Ela é a mais antiga ancestral, velada pela passagem do tempo. Ela é a Deusa da Morte, que deixa morrer tudo o que não é mais necessário. Mas é tambem ela quem encontra as sementes da próxima estação. Ela é a guardiã da semente, a protetora da força vital essencial ao ressurgimento da vida após o inverno. Ela guarda a própria essência do poder da vida. Ela é o poder essencial da Terra. Nos mitos Celtas Ela representa a Soberania sobre a terra e um rei só podia reinar após realizar o casamento sagrado com Ela, que representa o Espírito da terra.

Cailleach é uma das maiores e mais antigas Deusas da humanidade. Ela é um aspecto da Deusa como a Anciã, principalmente na Escócia. Um derivativo de seu nome, Caledonia, foi dado àquele país. Seu nome, assim como seu título de Mãe Negra, é muito próximo ao nome Kalika, um dos títulos de Kali. Alguns estudiosos acreditam que ambas sejam derivadas de uma Deusa ainda mais antiga, talvez uma das primeiras expressões da face negra da Deusa já cultuadas pela humanidade. Ela foi e é conhecida por inúmeros nomes: Cailleach Bheur or Carlin, na Escócia; Cally Berry ou Cailleach Beara, na Irlanda; Cailleah ny Groamch, na ilha de Man; Black Annis, na Bretanha e Digne, no país de Gales, todas equivalentes a Kali.

Cailleach também é considerada uma outra forma das Deusas Scathach e Skadi. Na Irlanda ela era conhecida como uma divindade que podia trazer e curar doenças, principalmente de crianças. O nome Caillech significa mulher velha, bruxa ou mulher velada. Sua imagem velada a relaciona com os mistérios de se conhecer o futuro, particularmente a hora da morte de cada um. Nas lendas Medievais ela era a Rainha Negra do Paraíso, aquela a quem os espanhóis chamavam de Califia; a palavra Califórnia vem deste nome.

Cailleach rege o céu, a terra, o Sol e a Lua, o tempo e as estações. Ela criava as montanhas com as pedras que carregava em seu avental, mas também trazia aos homens as doenças, a velhice a morte. Ela era também um espírito protetor dos rios e lagos, garantindo que eles não secariam. Ela controla os meses de inverno, trazendo o frio, as chuvas e a neve. Mas um de seus principais títulos é Rainha da Tempestade, pois com seu cajado ela trazia e controlava as tempestades, particularmente as nevascas e furacões.

Cailleach é a guardiã do portal que leva à parte escura do ano, iniciada no Samhain e é invocada nos rituais de morte e transformação. Nos mitos da troca de poder entre as faces da Deusa ela recebe o bastão branco dos meses de luz e o torna negro para os meses de trevas, devolvendo-o à Donzela no Imbolc. Em alguns mitos diz-se que Ela retorna à terra no Imbolc, tornando-se pedra para acordar somente no próximo Samhain.

Como Seu nome não aparece nos mitos escritos da Irlanda, mas apenas em histórias antigas e nomes de lugar, presume-se que Ela era uma divindade pré-celta, trazida pelos povos colonizadores das ilhas Britânicas, vindos do leste Europeu, possivelmente da Índia. Ela era tão poderosa e amada que mesmo quando os recém chegados trouxeram suas divindades, como Brigit, Cailleach ainda continuou sendo lembrada.

Apesar de ser considerada uma Deusa Anciã, Ela é quase sempre representada com um rosto jovem, mostra de seu poder de se rejuvenescer constantemente. Ela possui um aspecto Donzela parecido com Diana, sendo a protetora dos animais selvagens contra caçadores. Ele protege principalmente o cervo e o lobo, assegurando bandos saudáveis. Há um mito antigo que conta que os caçadores oravam a Cailleach para saber onde encontrar os cervos e quantos matar. Ela os guiava para a aqueles que podiam ser mortos, desobedecê-la trazia sua fúria, em forma de ataques de alcatéias para a vila dos desobedientes.

Ela também possui um aspecto Mãe, sendo aquela a quem as mães pediam que curasse seus filhos das doenças do inverno. O Gato é um de seus animais sagrados. Em algumas lendas ela toma a forma de gato para testar o caráter das pessoas. Em sua forma humana, ela costumava ir de casa em casa no inverno pedindo abrigo e comida. Os que a acolhiam contavam com sua eterna bênção e proteção e os outros eram amaldiçoados e não atravessam o inverno incólumes. São também sagrados para ela o corvo e a gralha.

Seu rosto é azul e seus cabelos sempre são representados soltos e brancos, escapando de seu manto e capuz. Ela carrega um caldeirão em uma das mãos e um cajado na outra. Seu cajado ou bastão lhe conferia o poder sobre o tempo, fazendo dela uma das Deusas mais importantes para a manutenção da vida no planeta. Ela é também uma Deusa associada à crua honestidade e à verdade, doa a quem doer.

Ela também aparece como uma mulher velha que pede ao herói que durma com ela, se o herói concorda em dormir com ela, ela se transforma em uma linda donzela.

O Livro de Lecam (cerca de 1400 E.C.) alega que Cailleach Beara era a Deusa da qual se originaram os povos da região de Kerry. Na Escócia ela representa a personificação do inverno, nasce velha no Samhain e fica cada vez mais jovem até tornar-se uma linda Donzela no Beltane.

O contato com esta Deusa nos ajuda a redescobrir a soberania sobre nossa própria vida, um tipo especial de poder e confiança. Cailleach, violenta como pode parecer, vive em todos nós. Ela nos traz a sabedoria para deixar ir aquilo de que não mais precisamos e manter as sementes do que está para vir. Ela vive no limite entre a Vida e a Morte.

Naelyan Wyvern
Sacerdotisa do Coven Labirinto do Dragão

MEU PEDIDO A DEUSA HERA


Mãe zele por minhas irmãs
Aquelas que fazem parte da minha familia
E aquelas que eu ainda não conheço
Mãe zele por elas
Com sua sabedoria tome conta delas
Não permita que sejam violentas,abusadas nem ultrajadas

Tome conta delas,e ensine a elas
O que eu não posso ensinar
Mãe proteja elas
Não deixe elas sentirem nem fome nem frio
Proteja os filhos delas
Mulheres e homens de todas as idades

Que elas jamais vejam um filho morrer de fome
Com frio ou com medo
ou velos ir a guerra....
Nesse mundo de caos.

Te peço vele por elas
Faça o que eu não consegui fazer por elas
Ajude elas
E me ajude a ajuda las
Que elas sempre tenham um sustento digno
E comida para seus filhos

De a elas a capacidade de escolher
Não permita que elas se tornem misticas alienadas....
Nem que se tornem feministas endurecidas e sem coração
Que elas sigam,como buda o caminho do meio

Porque todos os caminhos são o seu caminho
Mãe nunca permita que eu as negligencia
Que eu as veja sofrer e não faça nada
Que eu faça algo mesmo que inutil!

Que eu nunca veja uma mulher sofrer e ficar calada
Mãe dai me força de guerreira pra lutar
Dai me espirito de sacerdotisa pra ensinar
E alma de profetisa pra meditar

Que eu jamais negue comida a uma mulher ou a um homem
Que tenha fome
Que eu jamais vire o rosto ao ver a necessidade das pessoas
Que eu jamais aceite ser apenas uma Martir sofredora
Que eu faça algo,por Hera!

Que eu nunca seja condescendente
Que eu nunca tenha que mentir para agradar
Que eu seja honesta e verdadeira sempre!
Mãe que sua luz nos ilumine
E que eu sempre compreeda
Que na escuridão profunda
E na palavra de silencio
Estão sua sabedoria

Que eu não seja apenas uma sofredora
Que eu desfrute de todo o meu potencial para o prazer
Espiritual e fisico
Assim como as outras mulheres

Senhora da Vida,perdoe aquelas que A negam
Perdoe aquelas que endurecem seus corações e tentam ser homens
Ajude elas a conhecer o Feminino e a Mulher
É so o que te peço
Que aja sabedoria e o amor no mundo
E que ainda aja aqueles que A conhecem e A louvem.

A FELICIDADE DOS ALARMISTAS?

A GRIPE CHEGA AO BRASIL
PREPARA SE CASO VOCÊ FOR
BRASILEIRO PARA A GRANDE ALEGRIA
DOS ALARMISTAS,MÉDICOS E POLÍTICOS
ASSIM COMO DA MIDIA


Todos sabem que eu nunca escrevo ou raramente escrevo sobre o que acontece no meu pais.Mas de uns tempos pra cá deu a louca na minha escola publica e todos estão com medo da gripe suína(ou como chamam nos noticiários H1n1).Esta´um verdadeiro escarceu e parece que esta todo mundo com medo.É serio todos estão preocupados em manter os locais arejados e não fechar portas.Quando alguém espirra todo mundo olha pra essa pessoa com cara feia....
Dizem aqui que os hospitais estão lotados.....Mas como eu nunca ouço noticiários direito(para não me aborrecer) não dei muita confiança.As pessoas estão com medo de andar descalças em suas próprias casas.E eu com minha eterna mania de andar descalça sempre estou sendo criticada.Eu li os textos que Rosa Leonor publicou e e tenho um temor...E quando essa maldita vacina assassina vier pra cá ,como nos adolescentes e crianças iremos nos defender?

quarta-feira, 22 de julho de 2009

É PRECISO ESCLARECER


NOS COMENTÁRIOS:


Beto disse...
essa é uma diferença crucial entre homens e mulheres. elas podem escolher quem são. nós podemos fingir quem somos. a força do feminino é tão intenso que não pode ser ignorado pelos textos sagrados judaicos e cristãos. esta é a Deusa, como sempre, mostrando que são os homens que imaginam fronteiras e crêem que estas efetivamente existem.
22 de Julho de 2009 14:41

Gaia Lil disse...


Eu entendo o que diz....Mas existem homens que se soltam mais e outros menos.Mas como disse as fronteiras estão apenas em nossa mente.Devemos tentar conciliar as forças femininas com as masculinas para chegar a plenitude.Creio que existem homens bons no mundo,mas sem querer ofender a maioria que conheci era muito....Bruta e ignorante e difícilmente lidava com as sutilezas.Mas existem homens leves vaporosos,quase femininos,mais que paternais,maternais.Os homens tem que aceitar o feminino que a dentro de si.No meu caso o feminino vai ao extremo por isso penso e sinto o mundo como uma mulher.Mas biologicamente eu sou homem.Gostaria que soube se disso Beto porque não é a primeira vez que alguém da Internet pensa que sou mulher.Tenho que ser clara e justa com todas e explicar o que acontece comigo.Não precisa se preocupar que eu não me visto como uma mulher ou uso maquiagens....O máximo que uso é um lápis-de-olho ali e acolá.Queria esclarecer isso para que não pensa sem caso algum dia nos encontremos que procurei ludibriar vos(você e outros leitores).Eu esperava a oportunidade de esclarecer isso a você e aos outros leitores da corte.Espero que não se desaponte.


Abraços da Deusa Universal e androgina.

ÁRTEMIS,O FEMININO SAGRADO



INVOCAÇÃO


Oh, minha Deusa Diana
Escuta a voz de meu coração
Ouça a minha canção de adoração
O céu na Lua Cheia
se enche com sua beleza
Que seu feixe de prata
Abra a porta dos sonhos
Minha amada Deusa Lua
Ensina-me seus mistérios antigos
Presenteia-me com a sabedoria e
ajuda-me a afastar espíritos opressores
para que a cura se opere dentro de mim
Abençoa-me e recebe-me como sua filha(o)
Quando meu corpo cansado repousar esta noite
fale com meu espírito interno
Ensina-me, Rainha da Noite
Sou toda ouvidos!




Todos nós conhecemos a imagem de Ártemis (Diana, para romanos), que foi esculpida e pintada como uma deusa lunar esquia, virginal, acompanhada de cães ou leões e trazendo um arco dourado nas mãos. Ela era a deusa mais popular da Grécia. Ela habita as florestas, bosques e campinas verdejantes, onde dança e canta com ninfas que a acompanham. Em seu culto, estão presentes danças orgiásticas e o ramo sagrado. Ela era uma deusa de múltiplas facetas associadas ao domínio da Lua, virgem, caçadora e parteira e de fato representa o feminino em todos os seus aspectos.




ARQUÉTIPO DA MÃE DOS ANIMAIS

Ártemis /Diana era o ideal e a personificação da vida selvagem da natureza, a vida das plantas, dos animais e do homens, em toda sua exuberante fertilidade e profusão.
(...)

Sua festa anual na Itália era comemorada no dia 13 de agosto.

Neste dia os cães de caça eram coroados e os animais selvagens não eram molestados. Bebia-se muito vinho e comia-se carne de cabrito, bolos servidos bem quentes e maçãs ainda pendentes dos ramos. A Igreja Católica santificou esta grande festa da Deusa virgem, transformando-a na festa católica da Assunção da Nossa Senhora, a 15 de agosto.

Deusa dos Animais, as vezes, caminha junto de um cervo ou veado, ou conduz um carro conduzido por cervos e, ainda, ela mesma aparece como um cervo ou ursa, até porque, os animais selvagens são a própria Deusa encarnada na forma animal.

Parece, portanto, que a figura de Ártemis foi construída sobre um paradoxo: é ao mesmo tempo, caça e caçadora, a presa e a flecha que a abate.

O que pode significar o que, como caçadora, se dispara a si mesma flechas de ouro?



No período Paleolítico matar a um animal equivalia a desfazer um vínculo sagrado, e a unidade primogênita tinha que restaura-se para que o povo pudesse viver em harmonia com a natureza, o que ao mesmo tempo significava viver em harmonia com o próprio ser. A pureza do caçador é um ritual de caça muito antigo, como é o ritual de restituição da vida arrebatada, já seja sacrificando alguma parte do animal morto ou reconstituindo-o através da arte. O urso na parede da caverna de "Les Trois Frères", coberto de flechas, pode interpretar-se desde este ponto de vista. No entanto, si tanto o animal caçado como a pessoa que o caça sob a proteção da Deusa, a ordem sagrada não pode realmente vulnerar-se. Ela é, definitivamente, quem dá e quem arrebata e nada poderá ser feito sem o seu consentimento.

Porém, essa dependência da graça da Deusa vem acompanhada de medo: medo de que o caçador não seja o bastante puro para tomar parte de seus rituais, ou de o sacrifício de restauração não seja suficiente, de que seu dom possa ser negado ou mesmo, de que os caçadores acabem convertendo-se sem presas.

Encontramos o eco desta Deusa Ursa Primordial em todas as questões ligadas ao parto e à proteção de crianças e animais de peito.

Ártemis era a que regia os partos: ensinava a mulher que dava à luz a abandonar sua identidade cultural e a permitir que a guiasse a sabedoria do corpo, mais profunda:


"Através de meu ventre se desencadeou um dia esta tormenta, porém invoque a celestial Ártemis, protetora dos partos e que cuido do arco, e favoravelmente acuda sempre as minhas súplicas"



Assim canta o coro na obra de Eurípides.

A imagem leonina de Ártemis volta a expressar o medo ante ao abandono às forças da natureza, que, especialmente no parto, com seu necessário momento de entrega, pode expressar-se como "dom" ou como "maldição".

Existia a tradição também, que toda a mulher que sobrevivesse ao parto, deveria entregar suas vestes ao templo de Ártemis em Brauron, em Atenas.



Como "Mãe Ursa", tão ternamente retratada em uma imagem neolítica de Mãe Ursa com seu cachorro, a Deusa também cuida do recém-nascido, juntamente porque a lactância das crias de toda espécie pertence à esfera dos instintos da natureza. A ursa que está criando a seus pequenos é o animal mais feroz do mundo e, entre todos os animais, exceto os humanos, o simples ato de amamentar assegura a vida e espanta a morte. As jovens dançavam em honra de Ártemis ataviadas com máscaras e disfarces de urso, explorando assim a liberdade de sua própria natureza de urso, pois eram chamadas de "arktoi", "ursas".

Na Creta contemporânea, Maria, em seu papel de mãe, segue sendo honrada como "Virgem Maria do Urso".



No entanto, Ártemis não era mãe. Era a Virgem intacta cuja túnica curta e exercitada musculatura lhe davam um aspecto masculino; as meninas de nove anos, em sua etapa da pré-adolescência, eram suas companheiras favoridas. Durante as danças de suas festas as meninas, as vezes, levavam falos para celebrar que a Deusa continha em si mesma sua natureza masculina. Rodeava à Ártemis uma pureza, um inflexível autonomia, que conectava os amplos espaços inexplorados da natureza com a solidão que todo o ser humano precisa para descobrir uma identidade única.

DEUSA TRÍPLICE

Como Deusa do sub-mundo, ela é associada ao Nascimento, Procriação e Morte. Como Deusa da terra, representa as três estações: Primavera, Verão e Inverno. Como Deusa do céu, ela é a Lua nas fases de Lua Nova, Lua Cheia e Lua Escura. Como Deusa Tríplice foi personificada de mulher primitiva, mulher criadora e destruidora.

ÁRTEMIS/DIANA HOJE

O Arquétipo da feminilidade desta Deusa-Virgem, começa a se tornar importante novamente. Por muito tempo permanecemos à sombra da feminilidade absoluta, sob a influência de uma realidade masculinizada.



Ártemis/Diana é tão linda quanto Afrodite e nos fala que a solidão, a vida natural e primitiva pode ser benéfica em algumas fases de nossa vida. Amazona e arqueira infalível, a Deusa garante a nossa resistência a uma domesticação excessiva.



Além disso, como protetora da fauna e flora, ela é uma figura associada à ecologia contemporânea, onde há necessidade de salvaguardarmos o que ainda nos resta.

Uma parte deste redespertar da espiritualidade artemisiana já vem ocorrendo há vários anos na Europa, mas já chegou também ao Ocidente. Na Grã-Bretanha, redescobriu-se a antiga Deusa Branca dos celtas, graças ao maravilhoso livro "White Goddess", de Robert Graves.

Hoje já há também uma nova compreensão sobre feitiçaria, sob o nome de Wicca. Esta religião-arte, nada mais é do que a "antiga religião" de Diana/Ártemis. Aquelas mulheres que praticavam o culto à Deusa Diana vieram a ser identificadas com as chamadas bruxas e foram perseguidas e exterminadas. Entretanto, junto com a Wicca e outros movimentos semelhantes, está ocorrendo uma importante ressurreição das antigas tradições xamânicas e de cura nos quatro cantos do mundo.

ENXERTOS DE:http://www.rosanevolpatto.trd.br/deusadiana.html

A FORÇA DA CONTINUIDADE


"Uma jovem Mariam está sentada junto a à mesa,fazendo uma boneca à luz de uma lamparina a óleo.Está cantarolando.Tem o rosto suave e juvenil,o cabelo foi lavado e esta penteado para trás.E não lhe nenhum dente.Laila a vê colar pedaços de lã na cabeça da boneca.Em poucos anos,essa menina vai ser uma mulher que pede muito pouco da vida,que nunca incomoda ninguém,que nunca deixa transparecer que ela também tem tristezas,desapontamentos,sonhos que foram menosprezados.Uma mulher cuja generosidade , longe de ser contaminada,foi forjada pelas turbulências que se abateram sobre ela.Laila já consegue ver algo nos olhos daquela menina,algo tão arraigado que nem Rashid nem os talibãs conseguiram destruir.Algo tão rijo e inabalável quando um bloco de calcário.Algo que,afinal,acabou sendo a sua ruína e a salvação de Laila.A menina ergue os olhos.
Deixa a boneca de lado.E sorri

'Laila jo?'"
contra-capa,A Cidade do Sol de Khaled Hosseini


Sinceramente eu tenho acompanhado muito pouco a situação das mulheres afegãs,mas sei que estão em fome e em miséria e não é nem preciso pesquisar um pouco em livros e jornais para se dar conta disso.Na verdade não sei bem o que aconteceu para que eu cita se esse livro,só o que achei muito interessante o que estava escrito na contra capa.É um livro que minha mãe me deu e ainda estou lendo-o.É interessante mas ao que li o principio da historia é profundamente triste.O autor o dedicou a todas as mulheres afegãs e de certo modo as mulheres que faziam parte de sua família.A força da continuidade é com certeza a força mais marcante no feminino nesta era em que vivemos,além da beleza,além da sabedoria,o que mais vejo as mulheres fazerem é continuar.Tocar a vida,criar seus filhos,salvar a sua vida e a vida deles.E por ultimo caso ela tenha filhos,sacrificar a si própria para salvar seus filhos.Gostaria que as mulheres pudessem sair deste padrão mártir imposto(sim, imposto!)pela sociedade,porque nenhuma delas escolheu sofrer.Nenhuma mulher no mundo escolhe ser pobre ou não ter ensino(ou com mais frequência os dois).Isso me leva a crer que além da beleza,sabedoria ou sexualidade , maior habilidade feminina é a continuidade.Espero que pelo bem desse planeta nos continue mos.Mas não como sofredoras e sim como portadoras do sagrado.Isso é difícil,a quem diria até impossível,e sei que não a muitas esperanças,mas se formos fieis a nos mesmas e a Deusa ,creio que poderemos mudar em alguma coisa.E por mais que pensemos em desistir não desistimos.Continuamos,como Mariam,como um rio.
Gaia Lil

DE SACERDOTISA A SACERDOTISA:


EM RELAÇÃO AO TEXTO ABAIXO:


Eu vejo a sua alma dentro de um corpo jovem e andrógino e a sua fidelidade à Deusa Mãe... vejo a sua fé e a sua força interior em afirmar a Deusa e a mulher apesar da sua juventude...e percebo que tenha sentido no seu coração o apelo da minha alma à Deusa e às mulheres e me tenha respondido como o fez, sentidamente e com paixão. Mas minha querida você deve compreender que não deixa de ser irónico, ser você um ser tão jovem a responder-me assim.
Sabe que eu podia ser a sua avó em idade física...e bem gostaria de o conhecer pessoalmente porque sinto a sua sinceridade e até grande maturidade às vezes, e apesar da “idade” da alma não ser a idade do corpo é verdade que é preciso aprender com os anos e passar pelas experiências da vida para adquirir conhecimento e sabedoria, ainda que a verdadeira sabedoria seja inata. Mas eu creio que seguindo este caminho um dia você terá estrutura para escrever coisas importantes sobre a duplicidade do ser e da alma...
Sabendo como sei que para as mulheres em geral é complicado o caminho da Deusa, imagino que para si seja mais difícil ainda enfrentar todas as barreiras que este mundo de fórmulas quadradas, preconceitos medonhos e conceitos absurdos, que não fazem mais do que aprisionar a alma ao medo e à mentira e temo que o queiram aprisionar também á forma física e às ideias feitas sobre o sexo e o amor…

Há momentos ou fases em que só nos resta rezar à Deusa Mãe para que ela nos salve da confusão do mundo e nos permita encontrar a força, a dignidade e a paz que só a Grande Mãe nos pode dar.

- Obrigada ainda por olhar as mulheres desse jeito e por me lembrar essas mulheres que eu às vezes não vejo e esqueço...as mulheres caladas que carregam com todos os fardos às costas...as que sofrem em silêncio e suportam as dores do mundo inteiro, sem poder falar ou sem ao menos se poderem queixar a ninguém. São muitas mais do que aquelas que os anúncios, as telenovelas e os programas de televisão mostram e ninguém vê a sua face carregada de dores e rugas e miséria…
Obrigada pelo seu empenho e carinho, obrigada pela sua promessa e compromisso com a Deusa e comigo, pelo seu incentivo. Tomara que Ela o leve a sério e tome conta de si para sempre.
rlp http://rosaleonor.blogspot.com/

Obrigada pelo carinho e pela atenção....É verdade que as vezes sou madura, mas no fundo eu ainda sou uma menina:tentado e testando.Sei que o que posso fazer é pouco é muito pouco em relação a loucura do mundo a minha volta,ou melhor a nossa volta.Compreendo que se desistirmos não chegaremos a lugar nenhum...Devemos ao menos tentar e fazer o nosso melhor,é isso que podemos fazer neste epoca em que vivemos e é isso que vamos fazer.Vamos juntas fazer o nosso melhor e esperar os frutos.Rezo que venham.

Abraços,Gaia Lil
PS:Ser realista sem ser pessimista.


E MAIS UMA COISA:


Eu já disse uma vez que a aprecio e torno dizer isso denovo,eu aprecio sua maturidade e experiencia,aprecio a sinceridade com que fala comigo e com as outras mulheres,eu realmente aprecio você.A apreciação de outras pessoas é tão dificil hoje em dia,em que uma copia a outra ou tenta superar a outra,quer ser melhor,mais bonita,mais gostosa ou melhor de vida,rica endinheirada ou etc....É bom que ainda existam pessoas dignas de se apreciar e outras que sejam realmente apreciadas,com sinceridade e não aquela falsa apreciação das pessoas que se sentem inferiores.Não sei se estou pronta para sua maturidade ou pronta pra velhice,so sei de uma coisa,eu consiguirei suportar qualquer coisa. Nunca em minha vida pensei em suicidio como fazem as pessoas quando as coisas ficam.....insuportavelmente dolorosas ,digamos assim,por isso para além do ego de me afirmar poderosa ou sábia no minino e no intimo eu me considero uma pessoa forte e sei que ainda terei de suportar muita coisa na minha vida ....Como era aquele nome?..Desventuras..Acho que é isso mas creio que aguento.Eu aguento e com fé na Deusa sigo em frente.


Abraços

Gaia Lil
E PARA MAIS UMA SACERDOTISA:
Gaia Lil disse...
Anna Geralda Vervloet Paim:
Desculpe Anna se não lhe respondo direito as vezes é que sou muito distraida com as pessoas,mesmo as mais gentis e carinhosas.Agradeço pelo seu carinho sempre constante e pelo apoio que dá não so a mim e ao meu blog como a todas as mulheres na causa da Deusa.Sua gentileza faz a diferença.
Que a Deusa a abençoe.

terça-feira, 21 de julho de 2009

ELAS ESTÃO AQUI ROSA,ESTÃO AQUI...


Há dias que me pergunto isto e penso se não o pensarão também algumas das minhas mais fiéis leitoras…Mulheres & Deusas tem falado muito de poetas e Mestres…fala de Buda e da beleza do Mundo e dos Anjos...mas também do seu sofrimento inaudito, fala na meditação ou no Caminho do Meio, fala da Luz e tenta dar pistas, segue, atenta, os indícios de uma verdade mais profunda…mas de repente faz falta a Deusa e as mulheres…faz falta a Voz das mulheres! As mulheres que são as mães do mundo?
Onde estão as Mães do Mundo?
As mulheres, essas aparecem por todo o lado, mas são apenas as vedetas de qualquer coisa ou as artistas plásticas, fazendo plásticas e mostrando sapatinhos elegantes, batons e outros fetiches, e elas são doces (“a pipoca mais doce” publicou um livro do seu blog) e elas são as artes caseiras ou são intelectuais, tão inteligentes, brilhantes mesmo…falam de política e de sexo e de mais sexo e como são livres e até falam do tantra e da Kamasutra e exploram não só posições como fazem suposições e os homens são todos comestíveis e deliciosos etc.Mas de repente eu penso: e a Mulher e a Deusa, onde estão?Onde estão as Mães? Onde estão as nossas irmãs e as mulheres?Onde está essa nossa irmandade senão na conversa da treta?Onde estamos nós e a nossa essência?Onde estamos nós a fazer algo por este mundo completamente do avesso, em perigo, cada vez mais perto da guerra e do genocídio…enquanto nós ficamos a alimentar as nossas feridas e as nossas querelas e as nossas vaidades e egos?Onde está a Mulher e Deusa? Onde está a grande Mãe do Planeta Terra, a nossa Mãe Gaia…como é que ela consente esta alienação, esta loucura colectiva, estes crimes contra a humanidade, contra os mais fracos que são as vítimas de sempre: os pobres, as mulheres e as crianças?
rlp
IN MULHERES & DEUSAS


Gaia Lil:


Elas estão aqui Rosa estão aqui....São todas as mulheres incriveis que saem pra trabalhar e carregam seus filhos no colo,são todas as mulheres incriveis as mulheres cabeça das familias....O problema é que falta a elas um conhecimento de uma dentidade espiritual e feminina mais profunda.Muitas delas acreditam que não tem valor,se sujeitam....Outras se acham fracas demais pra lutar e preferem desistir e a ainda aquilas que adentram na espiritualidade mas como uma forma de alienação do mundo e das dores....São varios os motivos do sumiço das Deusas da antiguidade.As grandes matronas nutridoras e sabias aquelas que realmente sabiam curar as feridas,só quem tem esse poder é a Deusa e sua sabedoria , o que precisamos fazer é sair da base da idealização e tentar partir para a ação.É claro que isso é muito dificil mas não impossivel pode ser realizado e vem sendo feito pelas redes de mulheres do mundo,pelas dianistas e pelas ecofeministas do movimento de resgate da Deusa e do feminino.Devemos tambem atentar que não valhe apenas uma rapida leitura junguiriana sobre Deusas gregas para pensarmo que sabemos tudo sobre o feminino e a mulher.A muito tempo que a mulher vem passando por estes arquetipos e como você mesma disse é necessario que encaremos a sombra,encaremos nossa Deusa Escura interior e conven sermos com ela que tentemos intendela e mas que isso senti la.

GUERREIRA,SACERDOTISA OU PROFETIZA?

[Oracle-John+William+Waterhouse+1884.jpg]

Sinceramente eu não sei.

Sou uma pessoa muito múltipla e sempre me envolvo em vários projectos.Também sou meio misteriosa pois nem sempre posto tudo o que descubro ou sinto neste blog , ou na minha vida pessoal.Sou muito adversa ,tem dias em que tenho que ser guerreira amazona levantar e lutar pelo meu amor próprio e curar minhas feridas,respirar fundo e gritar como as mulheres celtas faziam pra espantar os inimigos,estes dias em que eu me movimento como uma Deusa da destruição ou como Oia a poderosa deusa dos ventos e tempestades.....Em outros estou mas calma mas ainda sim procuro defender minha crença minha religião e tento ao mesmo tempo ser espiritualizada e manter o foco na Deusa e na Mãe natureza.E a os dias de profetiza aonde eu sinto o poder Dela pulsando dentro de mim sinto seu espírito se apoderando de mim e entre em estado alterado de consciência.No passado eu geralmente nunca falava nesse assunto por falta de confiança em mim próprio e no meu Dom.Mas com os tempos e os novos começos venho me soltando mais para escrever e decidi escrever as coisas que sinto nestes momentos de transe e êxtase quando eu sentir ser propicio.É de certo que continua a não me afirmar maga ou sábia mas pelo menos dessa vez eu tenho consciência da sacerdotisa interior e realmente me sinto sacerdotisa ,não como uma função auto imposta ou um cargo de superioridade.Sou apenas uma serva e é bom que lembremos que uma sacerdotisa nada mais é que uma mulher humana que serve a Deusa e permiti que esta manifeste sua vontade através de seu espírito de seu corpo e de sua alma,o mesmo se dá com os homens que forem sinceros a sua força interior a Deusa e a seu feminino e ao Cornífero(o Deus consorte da Deusa em alguns ritos).Com o tempo a gente vai se acostumando e as poucos venho soltando me mais prendendo menos a minha natureza espiritual e profunda.Na minha vida pessoal estão dançando vários acontecimentos muitos interessantes:estou namorando.É claro que este não é um blog adolescente aonde eu deva falar disso mas gosto de citar isso porque é a minha primeira vez namorando e creio que todo ser humano tenha essa fase profundamente influenciada pela Deusa do Amor que tem muitos nomes....Creio que é mas fácil nomeá la de Afrodite pois é o nome mais comum a nossa cultura profundamente influenciada pelo helenismo.Também ando me expressando muito melhor que no passado,embora eu tenha tido (no passado) alguns lampejos de compreensão e sensatez ao lidar com as palavras e com a maneira com que as expresso.Firmo de novo o compromisso de voltar ao trabalho com mais empenho e de certa forma ,com mais elegância.
Gaia Lil

A MULHER PENSAMENTO



Sempre que se lê ou se analisa uma lenda ou mito indígena, se deve ter consciência que a realidade experimentada pelos povos tribais, não é a mesma dos povos Ocidentais e, conseqüentemente, este tipo de literatura refletirá suposições e opiniões básicas sobre um universo que o leitor ocidental não identificará como familiar.

As culturas ocidentais tendem a separar o material do espiritual e sobrenatural, quando os índios americanos o material e o espiritual são expressões de uma mesma realidade.

No pensamento do índio americano deus/deusa são qualificados como espírito, mas há outros seres espirituais sagrados. De fato, todos nós somos mais espírito que corpo, mais espírito do que intelecto, mais espírito que mente. E há, algumas mulheres que são a espinha dorsal de muitas culturas.


Algumas são consideradas heroínas culturais, outras identificadas com a Mãe-Terra, outras com o Pai céu. Algumas são atemporais e sagradas e estão sempre presentes, enquanto outras são seres mortais que, quando a situação exige, assumem funções sagradas.

Todas elas são figuras interessantes por si mesmas e pelo que as cercam. Além disso, algumas delas podem nos servir como modelo, ou fontes de energia que enriquecem nossas vidas hoje.


Entre elas lhes apresento a Mulher-Pensamento, ou Tse che nako, a deusa criadora dos keres. Este povo que fala keresan vive no Novo México desde os tempos pré-colombianos, contituindo atualmente os pueblos de Acoma, Laguna, Zía, Santa Ana, San Felipe, Santo Domingo e Cochiti.

Sua sociedade é tradicionalmente agrícola. Os keres são conhecidos pela sua joalheria, assim como pelos seus vários e distintos estilos de cerâmica. Acoma é uma das localidades de habitação contínua mais antigas da América do Norte.


Tse che nako, um ser extraordinário, concebeu o plano original da criação. Ela criou o mundo com seu pensamento. Já que o pensamento, assim como a criação, precede a ação, ela pôde fazer as coisas acontecerem simplesmente pensando nelas.

Criou outras figuras sagradas para ajudá-la na criação, que chamou-as de irmãs. Estas, coexistem eternamente com ela, mas lhe obedecem, pois ela é a criadora, o ser supremo.

A história tradicional da origem, segundo os keres, diz o seguinte:

"No princípio, Tse che nako, a Mulher-Pensamento, terminou tudo, os pensamentos e os nomes de todas as coisas. Ela terminou também todas as línguas. E então nossas mães, Uretsete e Naotsete, disseram que criariam nomes e criariam pensamentos. Assim elas disseram. Assim elas fizeram.....

Há muito tempo, em Shipopu, no norte, no subterrâneo, nossa Grande Mãe, Tse che nako, fazia milagres. Tudo que havia recebido um nome surgiu. O sol e a lua, e shi wana, e os espíritos,e Katsina, e o Chayahni, os animais de caça e o povo foram completados".


A Mulher-Pensamento possui características tanto femininas quanto masculinas. Segundo Anthony Purley, do pueblo de Laguna, "Os keres crêem que Tse che nako possui mais atributos femininos do que masculinos, por isso eles se referem a ela e abordam como se fosse uma mulher".



Esta crença em Tse che nako como mulher está inteiramente contida na estrutura teológica dos keres. Tse che nako é o ser fértil por excelência, capaz de produzir seres humanos e todas as outras criaturas: "Ela é a mãe de todos, depois dela vem a Mãe-Terra, em fertilidade, em carinho e ao nos levar de volta ao seu seio.".



Purley escreve ainda: "A criação....inclui toda a criação, inclusive o pensamento individual, que é menor que o pensamento original, que somente Tse che nako tem o poder de criar". Os índios keres, em seu pensamento, sustentam que Tse che nako fez os seres humanos não somente para a procriação, mas também para criar. Ela não restringiu o processo de criação a si própria, mas colocou o poder de criar o pensamento individual em todos os seres humanos e todas as criaturas vivas. Em outras palavras, todos os seres podem criar, embora em graus diferentes. Se você refletir a esse respeito, perceberá que isto é verdade. Mesmo uma única célula possui uma certa dose de poder de decisão: ela pode decidir se vive ou morre, se se divide em duas, se aceita ou rejeita substâncias que dão vida ou substâncias mortais.



A Mulher-Pensamento é uma entidade poderosa e dinâmica que contém todas as possibilidades de vida dentro de si, incluindo o princípio masculino e feminino. Seu aspecto leigo é chamado Mulher-Aranha, uma figura muito benevolente que ajuda as pessoas necessitadas.



Tse che nako ilustra perfeitamente a lei metafísica universal que diz que: pensamentos são coisas", o pensamento participa da criação. A criação inclui as atividades da razão, da mente e sua realização na matéria, assim como a pura geração biológica, que denominamos criação. Portanto, a maneira como pensamos, determinará o que acharemos ou criaremos.


A Mulher-Pensamento foi a primeira a trabalhar com a visualização criativa, que tanto utilizamos hoje, em nossos rituais xamânicos.


O mito da Mulher-Pensamento, também nos aponta a importância da língua como um tipo de poder sexual capaz de gerar vida. Esta tradição xamânica de que as coisas fielmente expressas por palavras acontecem, já estão muito além do reino das histórias da "criação".

No coração da tradição oral indígena americana está a certeza mais profunda e incondicional da eficácia da língua. As palavras são intrinsecamente poderosas. Por meio de palavras se processa a mudança física do universo.


Tse che nako está sempre fiando a sua teia, desenvolvendo as possibilidades da vida.

Ela está distante, mas sempre perto....

Texto pesquisado e desenvolvido por

ROSANE VOLPATTO

SENHORA DAS PALAVRAS


As palavras têm poder



A linguagem dirige nossos pensamentos para direções específicas e, de alguma forma, ela nos ajuda a criar a nossa realidade, potencializando ou limitando as nossas possibilidades. A habilidade de usar a linguagem com precisão é essencial para uma boa comunicação.

:: 1- CUIDADO COM A PALAVRA NÃO. A Frase que contém NÃO, para ser compreendida, traz à mente o que está junto com ela. O NÃO existe apenas na linguagem e não na experiência. Por exemplo: pense em "NÃO"... Não vem nada à mente. Agora, vou lhe pedir não pense na cor vermelha... Eu pedi para você NÃO pensar na cor vermelha e você pensou. Procure falar no positivo, o que você quer e não o que você não quer.


:: 2- CUIDADO COM A PALAVRA MAS, QUE NEGA TUDO QUE VEM ANTES. Por exemplo: "O Pedro é um rapaz inteligente, esforçado, MAS...". Substitua o MAS por E, quando indicado.

:: 3- CUIDADO COM A PALAVRA TENTAR, QUE PRESSUPÕE A POSSIBILIDADE DE FALHA.
Por exemplo: "Vou tentar encontrar com você amanhã às 8 horas". Em outras palavras: Tenho grande chance de não ir, pois vou "tentar". Evite TENTAR, FAÇA.

:: 4- CUIDADO COM NÃO POSSO OU NÃO CONSIGO, que dão idéia de incapacidade pessoal. Use NÃO QUERO, NÃO PODIA ou NÃO CONSEGUIA, que pressupõe que vai conseguir, que vai poder.

:: 5- CUIDADO COM AS PALAVRAS DEVO, TENHO QUE OU PRECISO, que pressupõem que algo externo controla a sua vida. Em vez delas use QUERO, DECIDO, VOU.

:: 6- Fale dos problemas ou das descrições negativas de si mesmo, utilizando o verbo no passado. Isto libera o presente. Por exemplo, "Eu tinha dificuldade em fazer isto..."

:: 7- Fale das mudanças desejadas para o futuro utilizando o tempo presente do verbo. Por exemplo: em vez de dizer "Vou conseguir", diga "Estou conseguindo".

:: 8- Substitua o SE por QUANDO. Por exemplo: em vez de falar "Se eu conseguir ganhar dinheiro vou viajar", fale "Quando eu conseguir ganhar dinheiro vou viajar".

:: 9- Substitua ESPERO por SEI. Por exemplo: em vez de falar "Eu espero aprender isso", diga "Eu sei que vou aprender isso". ESPERAR suscita dúvidas e enfraquece a linguagem.

:: 10- Substitua o CONDICIONAL pelo PRESENTE. Por exemplo: Ao invés de dizer "Eu gostaria de agradecer à presença de vocês", diga "Eu agradeço a presença de vocês". O verbo no presente fica mais forte e concreto.



(Dr.Jairo Mancilha, Ph.D/ Neurolinguista, Cardiologista e Psiquiatra)



:: Estas dicas são importantes para uma boa sonoridade, mas a sua maneira de se comunicar , a consistência, a verdade e a intenção das suas palavras é que fazem a diferença, sempre!

A TOTALIDADE DO FEMININO


A Deusa não estava dividida em muitas facetas ela é Una. Ela é o arquétipo da totalidade e inteireza e da totalidade.Ela é Una completa em si mesma.Suas múltiplas facetas são apenas símbolos da extensão de seu poder que engloba tudo aquilo que esta dentro do corpo de relacionamentos humanos:sexualidade,maternidade,casamento,estabilidade financeira e ambição,autoridade.E aquilo que vai alem desses relacionamentos :espiritualidade,psicologia,esoterismo,alma,emoções e sentimentos,profundidade.É preciso que entendamos isso e paremos de dividir a Deusa em facetas interiores para poder melhor aproveitar a totalidade da vida.Embora seja certo que os arquétipos de algumas Deusas Interiores sejam vividos cada um a sua parte.Devemos ver a Deusa em seu papel maternal e naquilo que vai alem de seu papel maternal,o maternal-espiritual e sexual ou seja a Mulher Cósmica ou a Deusa Una.

A Deusa é masculina e feminina por excelência.As mas antigas Deusas da humanidade possuíam Falo o que mostra que os antigos sacerdotes e sacerdotisas,assim como o povo tinham compreensão destes profundos arquétipos do Ser da Mãe Natureza e do Universo como um Todo.A Deusa é Luz e é escuridão é a cheia e a minguante.Nos ritos primordiais da natureza a Deusa superava as suas Três facetas quando chegava a Lua Negra,ela se tornava a Encantadora aquela que possui o poder de atrair para si todas as pessoas em suas diferentes esferas de interesse e idade assim como posição social e espiritualidade.Seu poder se ampliava na Lua Negra simbolicamente vista como a união de todas as diferentes caracteristicas do feminino pôs seu poder de encantar se estendia a todas as sua facetas: sua beleza e sexualidade(Donzela),sua maturidade e carinho(Mãe),seu poder destrutivo e restaurativo,sua sabedoria(Anciã).

Se compreendermos o arquétipo de totalidade da Deusa,compreenderemos o feminino em sua essência.

Gaia Lil

O VERDADEIRO CHAMADO


Todos sabem que nestes dias eu tive pensando em voltar ao trabalho da Deusa....eu até disse que voltaria,mas não estava muito certa disso.


Digo isto porque hoje quando fui ao blog de uma grande mulher ,o blog Mulheres & Deusas eu senti como se tivesse ouvido o chamado verdadeiro o chamado da Deusa pra voltar ao trabalho não só aqui neste blog como no circulo de mulheres que a algum tempo vem atuando na net.

Uma coisa é você pensar em fazer uma coisa,outra coisa bem diferente é você sentir de verdade o desejo e a vontade de voltar ao trabalho.Eu assumo meu compromisso não como uma blogueira que gosta de falar da Deusa e sim como uma Sacerdotisa da Deusa de voltar ao trabalho.Assumo esse compromisso também com Rosa Leonor de voltar a dividir minhas informações com ela com mais frequência.Assumo esse compromisso com as mulheres do circulo que a muito tempo sentem falta de mim.Assumo com a própria Deusa porque a muito tempo não sentia o seu poder sobre mim.Acredito firmemente que apesar dos meus defeitos e devaneios minha maior força sempre foi a continuidade e louva diante dos Deuses antigos a minha alma feminina e peço a bênção da Deusa pra continuar o caminho afinal como minha mestra Sabina Alva disse "A muito a ser feito".E até onde eu puder eu quero fazer parte dessa mudança.Em prol da Deusa,do feminino,das mulheres e de uma nova consciência para a humanidade.Sei que minha esfera de atuação é bem pequena em relação as feministas e os políticos patriarcais,mas pela primeira vez na vida não me importo com isso,mesmo que a Alta Sacerdotisa seja apenas uma gotinha no oceano ,essa gotinha fará uma diferença incrível.


PS:Agradeço tambem a minha corte de leitores e espero que sempre sejam fieis a essa força interior e ao seu coração,ambos no passado chamados de Deusa.

sábado, 18 de julho de 2009

EU GOSTO DESSA DANÇA

Eu gosto da dança,gosto de sentir a musica e o ritmo bailante....Adoro a Lua e os ventos que ela traz....Mas também gosto da Dança ou da contra dança do destino.Gosto desse estalar desse ritmo sensual e quente bailante de balançar o pulso pra frente e pra trás.....Gosto da dança as vezes danço sem me mover direito apenas agitando os braços dançando no ritmo das fúrias da natureza....Gosto da Dança é só faço o que gosto.....

sexta-feira, 17 de julho de 2009

VOLTA AO TRABALHO!!!

Desculpem me pelo meu afastamento estes dias em que tenho postado com menos frequência do que o habitual,mas realmente o tempo que se passou foi um verdadeiro descanso eu mesma não havia notado como estava cansada na alma e no corpo.....Dormi horas e horas a fio e só levantava para ir a escola voltar dormir e comer uma ou outra coisa ali e aqui.....Eu também não me dava conta de como estava pesada comendo como um búfalo.....Enfim voltei a comer normalmente e voltei a praticar o jejum para Deusa do qual estava muito precisado para algumas revelações....Estava exausta realmente....Passei estes dias meditando e revendo alguns ensinamentos de minha mestra Sabina Alva que a muito tempo comigo não se comunicava.....Também voltei a praticar alguns rituais mais restritos da tradição da lua que me aumentaram o poder...sinto me de novo segura mas ainda não preparada para Dança da Floresta um ritual muito importante para qualquer sacerdotisa da tradição da lua deve fazer...É diferente da maioria dos rituais que fiz pois a maioria foi de improviso...rs.

Deixarei para fazer quando for mais velha e melhor preparada.Fora isso estou otima!!!
Que a Deusa os abençoe!!!
A sim quase ia me esquecendo as postagens vão voltar a frequência normal....

Gl

ABENÇOADA

Abençoa da seja a sua graça
Abençoada seja a tua Força que move o mundo
Abençoado seja seu Esplendor e Tua beleza
Abençoados sejam teus passos que andaram todos os caminhos
e descaminhos desse mundo
Abençoada seja a tua mão que conduz a vida
Senhora que me leva a cometer erros
A usar toda a minha beleza e potencial
e depois notar
só depois no final
que eram acertos....

Abençoados sejam meus erros
Abençoados sejam os meus amantes
Homens que ardi em prazer....

Abençoadas sejam minhas irmãs
Aquelas que me guiavam nas loucuras que eu fazia!!!
Abençoada seja a pitonisa,a Deusa,a eterna profetiza....

Abençoada seja eu mesma
Que aceito a minha grandeza
A grandeza da poeira....

Oh,poeira do tempo poeira do espaço
movedora de mundos
leveme pra perto do sol
Aonde dançarei com Lilith
.......

Mãe abençoados sejam os espíritos e o povo pequeno....
Abençoados sejam os demónios espíritos inferiores...
Antes Reis dos montes e montanhas
Durdales e Elfos.....mas os padres sempre distorcem tudo...

Abençoada seja eu própria
Musa ,dançarina,prostituta,fada,consorte,matrona e autónoma...
Abençoada seja a terra e o céu que se colidem no fim do mundo...
Assim seja
E assim se faça

quinta-feira, 16 de julho de 2009

A Barca Das Feiticeiras


O vento chama Ninnan para longe,longe das pessoas longe da montanha para perto da Deusa.A jovem esguia transpassou o mato com sua túnica negra e adentrou a floresta passando pelas ribanceiras.Sentou se numa pedra lisa e esverdeada de musgos úmidos,os ventos frios passavam e gelavam seus ossos e ele diminui a respiração e afastou as pernas colocando suas mãos entre suas pernas e respirando lentamente.No começo a respiração ritmada pelo abdomem só serviu para descansar seu corpo,mais aos poucos sentiu um poder vindo da terra que vibrava por todo o seu corpo e sentiu a pedra vibrando com ela,meditando com ela,uma vibração suave tomeu seu peito e vibrando cada vez mais forte.


-Senhora estou perdida ,estou cansada,estou sozinha.


-Você não estará sozinha,você tem suas irmãs tem seu filho e tem a Mim.

Disse a Deusa um tanto zombeira.Ninnan riu.


Deixou o poder e o êxtase imunda la e fazia muito que não permita sentir o Poder assim.


-Obrigada Senhora.


Desde que Elien havia morrido durante o ritual do Beltane Ninnan não se permitia se sentir feliz,a minha fada minha fada morreu....E isso não tem concerto...


Sentiu uma vibração em sua barriga e uma suspeita passou por sua cabeça.


-Será,Mãe? Será...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

SENHORA OUÇA A MINHA VOZ:


Senhora da Lua
Ouça a minha voz
Chamo Te para que me traga a Tua Luz
Que suma luz se estenda por vales e florestas
Que sua luz se estenda por montanhas e mares
Que sua luz se estenda por homens e mulheres
Senhora da Noite e da Madrugada
Senhora das Três faces
Traga nos os dons da Lua
Dai me coragem
Dai me amor
Dai me sabedoria
Senhora leve de encontro a Seu poder
Venha de encontro a mim
A Senhora que não tem um nome
Mas vários nomes
Peço seu auxilio!!!
Eu ainda carrego a linhagem sagrada
conheço o segredo de minhas antepassadas
Leve me em direção a Lua Crescente
Leve me em direção a Lua Cheia
Leve me em direção a Lua Minguante
E por ultimo a Tua Grande Faceta
A Lua Negra
A Encantadora.