"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


terça-feira, 30 de junho de 2009

Nesta noite escura

Minha alma sente a brisa da noite
Uma paz me invade
uma tranquilidade triste
tristeza de tempo antigos
de coisas perdidas e difíceis de ser achadas
Esse ar frio é o que me apaixona
Este vento calmo sobre o meu corpo
Me desperta da dor das lágrimas.
Minha alma esta solta
Meu coração esta livre.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

AQUELES QUE PLANTAM & AQUELES QUE CONSTROEM


(...)Um texto anónimo da Tradição diz que cada pessoa ,em sua existência,pode ter duas atitudes:Construir ou Plantar.Os construtores podem demorar anos em suas tarefas,mas um dia terminam aquilo que estavam fazendo.Então param,e ficam limitados por próprias paredes.A vida perde o sentido quando a construção acaba.
Mas Existem os que plantam.Estes à vezes sofrem com tempestades,as estações, e raramente descansam.Mas,ao contrário de um edifício ,o jardim jamais pára de crescer.E,ao mesmo tempo que exige a atenção do jardineiro,também permite que,para ele a vida seja uma grande aventura.
Os jardineiros se reconhecerão entre si-porque sabem que na história de casa planta está o crescimento de toda a Terra.

IN Brida,Paulo Coelho

domingo, 28 de junho de 2009

DESCANÇO DA BRUXA

BELAS MALDIÇÕES....


ESTOU TÃO CANSADA DE MEXER ESTE CALDEIRÃO QUE É A ALTA SACERDOTISA,BEM COMO CANSADA DE MEXER O CALDEIRÃO DA VIDA PESSOAL...


Não sei se definitivamente mais muito antes disso que estou dizendo agora eu já pensava em parar com meu blog porque realmente estes blogs pouco importância tem.Também tenho sofrido em minha vida pessoal,sofrimentos e abusos tão grandes que me deixam perplexa.Eu não aceito ser dominada pela minha família ou por qualquer outra pessoa.ESTOU CANSADA.Cansada de tanto esforço e luta cansada do meu próprio desgaste emocional e o do estada das coisas.Quero desesperadamente fugir,quero um abrigo quero um útero...ou um lar.Enfim quero poder andar com minhas próprias pernas e ter minhas casa,positivamente quero fugir da minha família e .


ESTOU CANSADA muito cansada é concerteza não serão um ou dois textos na Internet que poderão curar me.Já nem ligo mais para que os mestres e sábios dizem que para mim e para minha vida e meu sofrimento não tem utilidade alguma.ESTOU CANSADA profundamente cansada deste jogo de belas palavras e trigeitos e cansada de ter de ser uma boa atriz de família ser uma boa pessoa para que minha família não me escurace deves de minha casa(ou melhor da casa deles).Neste minuto o que mais tenho pensando ou sentido vontade de fazer é fugir.Mais pra onde?Copacabana ai vou eu?!Não não tenho jeito para prostituta por mais livre sexualmente que eu seja.A ideia de ser usada me deixa nauseada .Ando deprimida.Tenho desconcentra dome escrevendo meus textos e as coisas que penso mais isso não me alivia.Tenho tentado manter a calma.Também penso em parar,e não me venham com esse descurço otimista que não me ajuda.Não que eu cheire fume ou beba só que sou "Teimosa,desagradável e inconsciente" demais.O Desejo de casa própria e de emprego é o que mais me apereia agora.Tenho de conseguir uma casa e um lugar segura aonde possa me desenvolver mais facilmente.


Também estou cansada de postar neste blog,fato é que por mais que eu posto qual será a mulher ou homem que realmente entrara em contacto com sua força e sabedoria interior.Qual será a mulher que aceitará se assumir sacerdotisa da Deusa na sua vida pessoal(não apenas na internet)Nem eu me assumo....bruxa ou sacerdotisa seja qual for o nome mais apropriado.


Se eu disser que algumas pessoas de minha convivência tem medo de mim até parece mentira mas tem!


Eu sou positivamente muito estranha tal qual Baba Yaga a bruxa que voa pela noite.Se engana quem pensa que meu intuito é fazer com que a sacerdotisa assuma o lugar da bruxa como alguns acham que é de direito.Sou essencialmente demoníaca.Apenas isso.





Mais ainda(sim ainda) há esperança em meu coração.Eu venho mobilizando umas amigas muito profundas que realmente gostam de mim ,uma delas é Elien e pensamos em abrir um local aonde possamos encontrar abrigo e falar sobre o sagrado feminino e essencialmente ajudar outras mulheres.Durante o transe o nome que me surgiu foi a Casa Branca.Seria otimo se consegui se fazer isso.Seria otimo mesmo.

sábado, 27 de junho de 2009

A VOZ DA ULTIMA SACERDOTISA


Mensagem de Lívia, Sacerdotisa de Ártemis, 200 A.C.

Mensagem de Livia, última Sacerdotisa sagrada de Ártemis, Éfeso, 200 anos antes da Era Cristã:


"Amazonas dos tempos futuros, me escutem. Eu envio estas palavras aos ventos do tempo, pelo fogo do meu espírito e urgências do meu diamante que me dizem que minha última lua está sobre mim agora. Pelo final da minha vida, eu não sinto uma perda. O nascimento, a vida, a morte, são todos uma só coisa na sabedoria Dela. Mas a verdade de nossos ancestrais e os caminhos sagrados estão agora perdidos para aqueles que seguem. Em breve, não restará ninguém para lamentar.Ouçam minhas palavras, Irmãs! Eu sou Lívia, amante e seguidora de Ártemis. Eu falo para vocês como a Sagrada sacerdotisa de Ártemis. Ártemis é Aquela que nos ensina os sagrados caminhos das mulheres e da vida desde antes de existir a memória. Eu lhes envio a nossa história, silenciada com meu último suspiro... só para vocês que podem me ouvir agora. O pesar deste relato agora me traz aqui sozinha a esta floresta sagrada. Raiva e tristeza me trazem aos meus joelhos aqui no escuro, ao lado do rio... Deixem o poder do que lhes envio agora cercar de força e verdade seus corações, que batem do lado distante dos Tempos de Escuridão. Esta é a penosa mensagem, de como nossa história e nossa cultura foram roubadas de nós através da ganância, da corrupção e dos abusos de poder. A Deusa se move para nos chamar, pois apenas através de Sua sabedoria minhas palavras podem alcançar vocês. Ela me instrui através deste encantamento a enviar estas palavras pra atingir vocês, Amazonas, que renasceram ao final dos Tempos de Escuridão. Nós, que temos sido mantenedoras dos limiares antigos e profundos; limiares do nascimento e da morte em Seu nome, chamamos vocês. Quando vocês ouvirem minhas palavras, o templo haverá permanecido por muito tempo em Éfeso, imensidões de colunas de pedra, um poderoso tributo a Ártemis. Enquanto falo estas palavras, o templo está agora no planejamento. Porém, quando esta maravilha estiver completa, a sacerdotisa sagrada de Ártemis já terá ido embora. Ouçam-me! Assistam como o templo de pedra por si mesmo é um testemunho de nossa violação e de nossa perda! Os entalhes exteriores do templo não são de Ártemis e de suas amadas Amazonas, mas do herói masculino dos iônicos Androkles. Os entalhes não foram feitos por artesãs da Sacerdotisa, mas recortados por trabalhadores masculinos das pedreiras, trazidos de Roma. Dentro do templo, apesar do tabu da entrada dos homens que leva a uma punição de morte pela lei de Ártemis, estarão estátuas douradas do Imperador Romano e outros Romanos que através da riqueza compraram o direito ao sacerdócio. A ira ruge dentro de mim, mas a vingança não é para ser minha. Ela é a medida do julgamento e é quem estabelece os limites para todas as coisas, incluindo a duração de minha vida. As Amazonas há muito deixaram Éfeso e cavalgaram para o Norte, prestando atenção às terríveis visões de nossas irmãs sobre os tempos de escuridão que viriam. Profundamente lamentados foram os avisos sobre o nosso futuro. Mas quem pode dizer que compreende a sabedoria Dela? O bom e o mau são a mesma coisa para Ela, é apenas devido à nossa compreensão limitada que nós sofremos assim. Irmãs no futuro! Ouçam minhas palavras! Ouçam e pressintam com os vossos corações! No tempo certo, a Nação Amazona será relembrada. Procurem pelos caminhos Dela na floresta. Procurem por nós ali. Lembrem-se! Por Ártemis..."


A FLORESTA É O TEMPLO DA DEUSA PORQUE É UM LUGAR DE CONSTATE VIDA E CRIAÇÃO UM LUGAR AONDE CADA EXISTÊNCIA,CADA ERVA,CADA PLANTA,CADA ANIMAL TEM SUA FUNÇÃO PARA MANTER O EQUILIBRO COSMOLÓGICO E ESPIRITUAL DO PLANETA.ESTE É O MAIOR TRUNFO DO MATRIARCADO:A FLORESTA O MAIOR TEMPLO E MAIS COLOSSAL QUE QUALQUER BASÍLICA...TALVES POR ISSO O POLÍTICOS E PADRES SEJAM TÃO CONDESCENDESTES COM A GRANDE DESTRUIÇÃO DA FLORESTA,A CASA DA DEUSA NA TERRA ,POIS ELES PREFEREM VER SEU TEMPLO DESTRUÍDO MESMO QUE ISSO DESTRUA A SI PRÓPRIOS.....gl

sexta-feira, 26 de junho de 2009

A BELEZA INDOMADA OU O PRINCIPIO MULHER-BORBOLETA


"Limitar a beleza e o valor do corpo a qualquer coisa inferior a essa magnificência é forçar o corpo a viver sem seu espírito de direito, sem sua forma legítima, seu direito ao regozijo. Ser considerada feia ou inaceitável porque a nossa beleza está fora da moda atual fere profundamente a alegria natural que pertence à natureza selvagem."



(...)Subjacente a tudo isso está a mesma fome de experiência espiritual que os seres humanos sentiram desde o início dos tempos. Em alguns casos, porém, essa fome é exacerbada pois muitas pessoas perderam o contato com seus antepassados. É muito comum que elas não saibam os nomes dos que vieram antes dos seus avós. Perderam, em especial, as histórias das suas famílias. Em termos espirituais, essa situação provoca tristeza... e fome. Por isso, muitos estão tentando reciar algo de importante para o bem da alma.(...)




Não sabemos se ainda temos vinte, quarenta anos ou apenas um dia para pôr em prática o que quer que a vida nos oferece em sua agenda. Por isso, talvez não devêssemos lutar tanto pelos aplausos, porém mais pelo prazer e a graça da dança.




(...)Os turistas vêm com todo tipo de expectativa, desde as sagradas até as profanas. Vêm ver algo que nem todos conseguirão ver, um exemplo do mais selvagem dentre os selvagens, um espírito vivo, La Mariposa, a Mulher-borboleta.O último evento é a Dança da Borboleta. Todos aguardam com imenso prazer a tal dança de uma só pessoa. Ela é apresentada por uma mulher, e que mulher! Quando o sol começa a se pôr, aparece um velho resplandecente no seu traje de cor turquesa que deve pesar uns vinte quilos. Com os alto-falantes guinchando como um pintinho que detectou um falção, ele sussurra no microfone de cromo da década de 1930, 'E nossa próxima atração vai ser a Dança da Borboleta'. Ele se afasta arrastando no chão e bainha dos jeans.(...)




Para os turistas, uma borboleta é algo delicado. 'Ah, a frágil beleza", sonham eles. Por isso, ficam necessariamente abalados quando surge aos saltos Maria Lujan. E ela é grande, grande mesmo, como a Vênus de Willendorf, como a Mãe dos Dias, como a mulher heróica de Diego Rivera, que construiu a cidade do México com um simples voltear do seu pulso.E Maria Lujan é velha, muitíssimo velha, como uma mulher que voltou do pó; velha como um rio velho; velha como os pinheiros nos pontos mais altos das montanhas. Um dos seus ombros está nu. Sua manta vermelha e preta, um vestido-saco, pula de um lado para o outro com ela dentro. Seu corpo pesado e suas pernas muito finas fazem com que ela lembre uma aranha saltitante envolta numa pamonha.Ela salta num pé só, e depois no outro. Ela abana seu leque de penas por toda parte. Ela é A Borboleta que chegou para dar forças aos fracos. Ela é o que a maioria considera não ser forte; a velhice, a borboleta, o feminino.




Ela abana o leque para cima e para baixo, salpicando a terra e o povo da terra com o espírito polinizador da borboleta. Suas pulseiras de conchas chocalham como cascavéis; suas ligas provisas de sinos produzem o som da chuva. Sua silhueta com sua grande barriga e pernas pequenas dança de um lado do círculo para o outro. Seus pés deixam pequenos remoínhos de poeira.As tribos ficam reverentes, envolvidas. No entanto, alguns turistas olham uns para os outros, perguntando, aos sussurros, de aquilo é a Donzela Borboleta.Eles estão perplexos, alguns até mesmo decepcionados. Parecem não mais lembrar de que o mundo dos espíritos é um lugar em que os lobos são mulheres, os ursos são maridos e as velhas de dimensões avantajadas são borboletas.É, é apropriado que a Mulher Selvagem/Mulher-borboleta seja velha e corpulenta, pois ela traz o mundo dos trovões num seio, e o mundo subterrâneo no outro. Suas costas são a curva do planeta Terra com todos os seus frutos, alimentos e animais. Na sua nuca, ela traz o sol nascente e poente. Sua coxa esquerda guarda todos os pinheiros; sua coxa direita, todas as lobas do mundo. Em seu ventre estão todos os bebês que um dia ainda irão nascer.A Donzela Borboleta é a força feminina fertilizadora. Ao transportar o pólen de um lugar para outro, ela fecunda por cruzamento, da mesma forma que os arquétipos fesrtilizam o mundo concreto. Ela é o centro. Ela aproxima os opostos ao tirar um pouco daqui e levá-lo para lá. A transformação não é nem um pouco mais complicada que isso. É essa a sua lição. É assim que a borboleta faz. É assim que a alma atua.




quinta-feira, 25 de junho de 2009

A GRANDE DEUSA



"A DEUSA TORNA O CORPO E A VIDA SAGRADOS, E LIGA-NOS À DIVINDADE QUE PERMEIA TODA A MATÉRIA: O SEU ÓRGÃO SIMBÓLICO É O ÚTERO. " A MULHER NO CORAÇÃO DAS MULHERES". O SEU ÓRGÃO DE CONHECIMENTO É O CORAÇÃO. TANTO O CORAÇÃO COMO O ÚTERO SÃO VASOS ATRAVÉS DOS QUAIS A VIDA DESPERTA. SÃO AMBOS CÁLICES PARA O SANGUE QUE OS ENCHE E OS ESVAZIA. UM SUSTENTA A VIDA, O OUTRO TRAZ NOVAS VIDAS AO MUNDO." J.S.B.


A Grande Mãe representa a totalidade da criação e a unidade da vida, pois ela existe e reside em todos os seres e em todo o Universo. Seus múltiplos aspectos e manifestações recriam o eterno ciclo de nascimento, crescimento, florescimento, decadência, morte e renascimento, na perpétua dança espiral das energias da vida.
A Deusa Mãe foi a suprema divindade do planeta durante trinta milênios, reverenciada pelo seu
poder de gerar, criar, nutrir e sustentar todos os seres
. Os seus atributos de fertilidade, abundância e nutrição são vistos nas estatuetas com características zoomórficas ou antropomórficas, como deusas pássaros ou senhora dos animais ou simplesmente mulheres grávidas, dando à luz ou amamentando.
Reverenciada e conhecida sob inúmeras manifestações e nomes, de acordo com a cultura e a época, a Deusa era a própria Mãe Terra, a energia da vida do planeta. Por ser imanente e permanente em toda a natureza, a Grande Mãe era venerada nas fontes, nos rios, lagos e mares, nas grutas, florestas e montanhas, nos fenômenos da natureza, na riqueza e beleza da Terra.
Os templos que lhe foram dedicados reproduziam formas femininas ou concentravam e direcionavam as energias cósmicas e telúricas por meio dos círculos de pedras ou
nas câmaras subterrâneas.
O período pacífico das civilizações neolíticas centradas nos cultos da deusa entrou em declínio cinco mil anos atrás com advento da idade de bronze e de ferro. Entre 4000-2000 AC invasões sucessivas de tribos indo-européias vindas da Ásia Central conquistaram e dominaram a Europa e a Ásia Menor. Estes povos nômades com instintos belicosos e usando o poder letal das espadas trouxeram consigo um panteão de deuses guerreiros, donos do céu, senhores dos raios e relâmpagos. Conhecidos como kurgos, arianos, hititas, semitas e dóricos, provocaram a destruição das culturas agrícolas matrifocais da Antiga Europa.
A terra foi saqueada, os templos destruídos, as mulheres escravizadas e inferiorizadas.
Sobre os escombros neolíticos as tribos patriarcais criaram as suas civilizações baseadas em modelos de dominação e autoritarismo.
Muda-se o sexo do criador, a Mãe tornou-se Pai, os mitos são deturpados, transformando a Deusa criadora em simples consorte, filha ou amante de deuses todo-poderosos ou simplesmente aniquilando-a ou escamoteando-a em símbolos ou manifestações maléficas.
Na psicologia da humanidade ocorre uma dicotomia entre os valores masculinos (deuses celestes superiores) e femininos ( deusas telúricas inferiores).
A luz passou a ser sinônimo do bem – a escuridão, do mal, o homem, por ser feito à semelhança
do Deus investido de poder e direitos, a mulher, por lhe ser inferior, devendo ser submissa, e servindo apenas para reprodução ou prazer.
A derrota definitiva do culto da deusa ocorreu com a instauração do monoteísmo judaico-cristão,
que proclamou um só criador-Pai, e considerou a mulher a origem do pecado e de todos os males
. O cristianismo suprimiu todos os símbolos do poder divino da Deusa considerando-os maléficos ou pecaminosos. Mesmo assim a iconografia e os atributos da Deusa foram absorvidos e adaptados no culto de Maria. Suas inúmeras igrejas foram erguidas nos locais sagrados das deusas greco-romanas, egípcias e celtas, seus atributos e estátuas sendo adaptações cristianizadas dos antigos nomes e imagens de Cibele, Innana, Deméter e Isis.
Depois da extinção definitiva dos cultos da Deusa nos países cristianizados, fragmentos das
antigas tradições, celebrações, conhecimentos e rituais, sobreviveram disfarçados nas crenças populares, nas
tradições nativas e nos contos de fadas.
Atualmente observa-se no mundo todo o ressurgimento dos valores e da busca do Sagrado
Feminino, simbolizando a necessidade de uma cura profunda da psique individual e coletiva, levando a uma expansão da consciência para assegurar a renovação planetária no próximo milênio. A volta da Deusa não significa o retorno às antigas religiões; o que ela prenuncia é uma nova forma de validação dos valores femininos, uma nova cosmologia centrada na Terra, uma nova ética enraizada na conscientização e reconhecimento das tradições e mitos do passado, mas para nos reconectar com a energia amorosa e compassiva da Grande Mãe precisamos passar por mudanças profundas na nossa maneira de pensar e agir, abrindo mão do jogo de poder, competição, retaliação, vitimização e opressão (características do patriarcado) e desenvolver a tolerância, a solidariedade, a compreensão e apoio mútuo, ultrapassando as diferenças e as cisões dualistas, em busca da pacificação interna e externa, em um empenho global para honrar e preservar Gaia, a nossa Grande Mãe.*

IN: O anuário da Grande Mãe,Mirella Faur

AINDA BEM...


A natureza selvagem sabe instintivamente agüentar e resistir, às vezes com elegância, às vezes sem muito estilo, mas resistindo assim mesmo. Graças a Deus por esse aspecto. Para a mulher selvagem, a continuidade é uma das suas maiores forças.
''**'*'**''

quarta-feira, 24 de junho de 2009

MEDUSA


É PRECISO ENCARAR A MEDUSA

O FEMININO SAGRADO

O Feminino Sagrado, apesar de tão profanado, apresenta-se como a grande alternativa à consciência de um feminino fracturado, permanentemente dividido e em conflito na mulher dos nossos dias. Porque falta à mulher de hoje, a mulher que conquistou um lugar na sociedade e que luta pelos seus direitos e igualdades, que luta pela sua dignidade, a Dimensão Ontológica do seu ser, todas essas conquistas não a põem em contacto com a mulher autêntica, a mulher ancestral, a mulher eterna, porque ela é apenas a metade mulher que negou uma parte de si através da religião que a aprisionou no dogma e viciou essa dimensão.
A mulher intelectual, a mulher que se julga liberta de preconceitos, tanto como ou mulher religiosa, não quer encarar esse lado Sombra do seu ser porque se lembra de coisas atávicas que lhe valeram perseguições e também a grande alienação da sua própria mística. Desse modo, uma e outra, perderam a dimensão secreta do seu ser interno, a coesão entre a sua alma corpo e espírito e enquanto ambas não equacionarem o seu ser ao nível dessa totalidade que são, ao nível das energias cósmicas por um lado, o céu, e as energias telúricas, da terra, por outro, de que ela é a representante privilegiada, ela não conquista verdadeiramente nada para si nem para a Vida na sua real dimensão. E é esta sua essência e matriz sonegada na revelação do milagre do Amor e da Concepção, que a mulher perdeu completamente na banalização e na vulgaridade das vidas quotidianas sem essa dimensão do Sagrada do Feminino, parte integrante do SER MULHER inteira.
Se a mulher não recuperar essa dimensão, se ela não entrar de novo em ressonância com o seu verdadeiro feminino, aquele que ficou na fronteira das reivindicações materiais dentro das concepções ideológicas da sociedade capitalista ou positivista marxista, ela nunca atingirá um patamar de verdadeira realização interior e limitar-se-á a viver a parte exterior do seu ser e quase apenas o seu lado masculino…
*

Rosa Leonor Pedro
Mulheres & Deusas
*texto publicado na revista Flôr de Lótus

TENDES RAZÃO É UM VERDADEIRO SINAL DOS TEMPOS...


QUANDO A LIBERDADE DA MULHER SE FAZ SENTIR E SE TORNA UMA "AMEAÇA" PARA O SISTEMA, ACENTUA-SE A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES ONDE QUER QUE ELAS SE MANIFESTEM...
*

"O sinal dos tempos é sempre um aumento de violência contra os mais fracos, as crianças e as mulheres. E de facto a violência contra as crianças e as mulheres está em crescimento em todas as partes do mundo. Só nos EUA são violadas, todos os dias, quase 1900 mulheres e crianças. Uma em cada oito americanas torna-se vítima de violação. É esta a extensão do desprezo pelo amor e a maternenidade.

Reconhecermos esta violência como desprezo pelo amor é um primeiro passo para delimitarmos o desprezo. Esta luta tem de ser conduzida a partir de uma posição moral, pelo reconhecimento do sofrimento e não apenas pela punição. A punição como fim em si não passa, por seu lado, de uma expressão de violência. "

A IDENTIFICAÇÃO COM O AGRESSOR...

"A necessidade de apenas punirmos a violência, mas não a vermos na dimensão da sua inserção na globalidade da nossa existência social, é por seu lado expressão da identificação com o agressor. Nesse caso, procuramos apenas uma vítima, e não o malfeitor propriamente dito, o qual só pode ser reconhecido no círculo vicioso da obediência e do ódio a que este conduz. No fim temos de ver o que fazemos uns aos outros. Só aí é que se abrirão os nossos corações. Não são as ideologias políticas que nos farão sair deste impasse, mas a tentativa de sermos, sempre de novo, sinceros connosco próprios."
*
IN FALSOS DEUSES DE ARNO GRUEN
»»»»»»»»»»»»»»»

Não havendo uma verdadeira consciência individual e o respeito pela mãe e pela mulher, carece forçosamente o respeito pelos outros nas sociedades patriarcais. Apesar das leis, e da pseudo-democracia dos países "civilizados" não só a polícia é implicitamente cúmplice do agressor (inconscientemente ou não) dentro do sistema como o são os juízes e advogados patriarcais; seja ao nível das igrejas seja ao nível dos governos e das suas instituições, os crimes de violação e abuso de menores é sempre relativisado e apagado pela falsa moral dos seus representantes...ver as penas suspensas e os casos de pedofilia abafados da Casa Pia, com arguidos, antes de serem julgados, a serem candidatos a juízes...

O PATRIARCADO É SEMPRE CÚMPLICE COM O AGRESSOR DESDE QUE SEJAM AS MULHERES E AS CRIANÇAS AS SUAS VÍTIMAS. O SISTEMA FUNCIONA NA BASE DA AUTORIDADE E DO ABUSO DE PODER QUE COMEÇA COMO PODEMOS BEM OBSERVAR, NESTES CASOS, DENTRO DO QUADRO DA FAMÍLIA - EM QUE O PAI E O AMIGO OU VIZINHO É O ABUSADOR, QUANDO NÃO É O PROFESSOR OU PADRE...
*
ASSIM VEMOS AS NOTÍCIAS DE HOJE:

Uma mulher com cerca de 40 anos foi sequestrada, violada e roubada hoje de madrugada por dois homens, que sob a ameaça de arma branca e de fogo a abordaram no Porto, transportando-a depois para a zona da Trofa.
*
Uma das mulheres foi raptada no acesso à variante EN 104, em Santo Tirso, por três indivíduos, um deles encapuzado e ...
*
Menina de 13 anos abusada em casa.
*
As duas meninas, de 14 anos, foram retiradas de casa há mês e meio. Anteontem, o pai foi detido e um vizinho, de 51 anos, constituído arguido, também por abusar das menores.
*
Foi na Escola Básica 2, 3 de Alfena que as duas gémeas, de 14 anos, se queixaram à professora de que estavam a ser abusadas sexualmente pelo pai.
*
IN Diário de Notícias
(só de uma vista de olhos pelo jornal de hoje)
24 de junho 2009

Fonte:http://rosaleonor.blogspot.com/2009/06/o-sinal-dos-tempos.html

terça-feira, 23 de junho de 2009

HERA MINHA MÃE!!!!

Hoje antes de dar uma parada nas postagens e ir descançar gostaria de explicar uma relação muito profunda que nutro por certa divindade:A Deusa Hera!

Por algum motivo sinto uma profunda devoção por esta Deusa em particular,assim como certas mulheres nutrem devoção por Ísis.

Ha em mim muito carinho sobre esta Deusa carinho que eu não sei o motivo mas creio que em parte isto vem da minha mãe que é uma mulher Hera.Ela é forte é sábia é feminina,é inteligente é realmente uma mulher de carater.Eu e minha mãe temos nossas diferenças(religiosas ,politicas,mentais e ect)mais sinto profundo respeito e admiração a esta mulher não so pelo fato de ser minha mãe mas tambem pelo fato de ser a mulher mais forte que ja conheci.Mesmo nos momentos mais dificeis sinto como se minha mãe se reergue se rapidamente e poderosamente.Eu realmente considero a uma mulher de valor,uma mulher digna bela e elegante!

Fica aqui minha homenagem a Deusa Hera e a minha propria Mãe :Lucia Helena Marciano
mulher forte eloquente engraçada carismatica e as vezes temperamental como qualquer mãe!

Beijos mãe apesar de tudo que sofremos e que dizemos uma a outra te amo profundamente!

HÉSTIA


Sou a que está no âmago
a indescritível
a implacável
a presença viva
que habita e transforma
uma construção
uma morada
um palácio
tirando-o do reino
do mármore de pedra
ou da madeira
e com o fogo da lareira aceso
transforma-o num lar.
******


Héstia é arquétipo da mulher voltada para sua plenitude interior e sua sabedoria interna.Era uma Deusa virgem ou seja uma Deusa que nunca serviu a divindade alguma a não ser a si mesma.Neste contexto temos as vestais sacerdotisas romanas que dedicavam sua vida a Deusa Vesta(Héstia).Com a Deusa elas encontravam plenitude e sabedoria espiritual.Entrar em contato com Héstia é essencialmente esta em contato com o âmago do seu ser a sua essência.Héstia convida a mulher a conhecer seu mundo interior e sua natureza profundamente divina.


Toda mulher pode invocar Héstia num momento de duvida e de desespero para busca de sabedoria a intereza.

AS MULHERES CULTAS


"As mulheres costumam pensar “estou louca”. Isso é a socialização. Não estão loucas em absoluto, simplesmente são mulheres! E essa loucura pode se converter em algo delicioso. Mas vocês vivem de acordo com as idéias dos machos e ainda as interiorizam. Isso sim é loucura." (Carlos Castañeda)


As mulheres cultas ou as feministas nada sabem sobre si mesmas e sobre sua profunda essência feminina sua alma e seu coração.Elas se afirmam independentes mais copiam e plagiam valores e atributos masculinos negando escancarada mente sua femininidade.Aqui também explico que feminilidade não significa passividade.Feminilidade original significa profundo respeito por si mesma e por seu mistério,significa profundo conhecimento do seu corpo e de si mesma,significa respeito a sua beleza única e natural e não uma copiação das tão famosas modelos de vitrine,mulheres esqualidas e raquiticas um padrão corporal inatingível para mulher "comum".Em suma as feministas não procurar jamais olhar pra dentro de si mesmas e elas até pessam que se fizerem isso algum mostro sairá dela e as engolirá.Agora afirmo que concerteza este mostro sairá só que para a mulher verdadeira sairá a bela e imortal Medusa sabia feminina corajosa e profundamente única!




EU também não dou muita confiança para as mulheres-canalizadoras atuais que de modo geral só canalizam Sain Germain ou Mikhael e se esquecem da Deusa ou se o fazem profetizam sobre a Deusa rebaixando a ao ponto de converte la numa interprete do Pai!




A VERDADEIRA MULHER ESTA OCULTA DE NOSSOS OLHOS,ESTÁ É A ETERNA MEDUSA A DANÇARINA DA DEUSA SERPENTE BAILANDO E AGITANDO MUNDOS MUDANDO O RUMO DOS DESTINOS E DOS ASTROS.




Ademais como Rosa Leonor tenho uma gata(Sofia) é a acho mais bela e inteligente que todas estas modelos e feministas juntas.A Mulher essencial é sábia e madura não busca a eterna juventude e sim a inteireza e a plenitude a chama interior,o fogo de Hestia!

A MULHER CELTA


"Jamais permitas que algum homem a escravize, nasceste livre para amar e não para ser escrava.

Jamais permitas que teu coração sofra em nome do amor.
Amar é um ato de felicidade, por quê sofrer?

Jamais permitas que teus olhos derramem lágrimas por alguém que jamais fará você sorrir!Jamais permitas que o uso do teu próprio corpo seja cerceado.O corpo é moradia do espírito, por quê mantê-lo aprisionado?

Jamais te permitas ficar horas esperando por alguém que jamais virá, mesmo tendo prometido.
Jamais permitas que teu nome seja pronunciado em vão por um homem cujo nome tu sequer sabes!


Jamais permitas que teu tempo, corpo e coração seja desperdiçado por alguém que nunca terá tempo para ti.

Jamais permitas ouvir gritos em teu ouvido.
O Amor é o único que pode falar mais alto!


Jamais permitas que paixões desenfreadas te transportem de um mundo real para outro que nunca existiu.
Jamais permitas que os outros sonhos se misturem aos seus, fazendo-os virar um grande pesadelo.

Jamais acredites que alguém possa voltar quando nunca esteve presente.
Jamais permitas que teu útero gere um filho que nunca terá um pai.


Jamais permitas viver na dependência de um homem como se tu tivesses nascido inválida.
Jamais permitas que a dor, a tristeza, a solidão, o ódio, o ressentimento, o ciúme, o remorso e tudo aquilo que possa tirar os brilho de teus olhos a dominem, fazendo arrefecer a força que existe dentro de ti.
E, sobretudo, jamais permita-se perder a dignidade de ser mulher!"


Provável código de honra da mulher celta.

fonte desconhecida

MULHERES CELTAS



Um exército inteiro de romanos, era incapaz de deter um punhado de galeses, quando esses pedissem ajuda a suas mulheres. Elas surgiam convertidas em verdadeiras "fúrias": inchando o peito, relinchando como cavalos selvagens e rangendo os dentes, se atiravam sobre os adversários dando patadas, mordidas e praticando ações tão fulminantes, que todos diziam que elas se convertiam em verdadeiras catapultas. Eram umas lobas que, à céu aberto lutavam raivosamente para proteger sua tribo.

O conceito celta da mulher se diferenciava do que tiveram os gregos e romanos. As funções que desempenhava rompiam padrões, causando impacto e assombro entre os escritores, ou historiadores contemporâneos dos celtas, que deixaram suas impressões escritas. A impressão geral que se obteve da mulher celta de antigamente, foi que ocupou um privilegiado lugar, se compararmos com outras mulheres de outras sociedades da época em que viveu. Sua importante função se desenvolveu em "pé de igualdade" com os homens, tanto de direito, quanto de dever.

As mulheres celtas foram tão boas guerreiras quanto os homens, muito temidas por sua valentia e força, pois não eram vencidas fisicamente com facilidade. Elas sempre os precediam nas lutas, muitas vezes, surgiam nos campos de batalha como verdadeiras feras, que nuas, gritavam, uivavam, insultavam o inimigo com palavras, empunhando lanças e imitando a Deusa Guerreira "Morrigan". Se fosse preciso, mostravam suas nádegas como uma ato de desrespeito ao inimigo, ao puro estilo celta.

A mulher da Velha Irlanda, único lugar que nunca foi visitado pelas legiões romanas, manteve sua independência até o século XII e uns três séculos mais, estava ainda, quase em plano de igualdade com o homem. Ela não foi derrotada em luta pelos romanos, mas sim pelo cristianismo. Podemos dizer, que a mulher celta foi a grande precursora do feminismo moderno.



Antigas lendas falam de mulheres sábias, médicas, legisladoras, druidesas, poetisas, indicando que as mulheres ocuparam essas posições dentro da sociedade. Tampouco eram excluídas do privilégio da educação, pois existem numerosos registros a respeito. Também houve mulheres que governaram e esposas de governantes muito populares, assim como também guerreiras. Podiam ainda, ostentar o mando militar, como foi a caso de Boudicca, a Rainha e Capitã da tribo dos Iceni britânicos, cujas ações bélicas foram consideradas as mais sangrentas realizadas pelos celtas.

Uma mulher divorciada retinha suas propriedades, mais o dote, o qual, no sistema legal Brehon, era requerido tanto do marido como da mulher (consistia usualmente em bois, cavalos, escudo, lanças e espadas). A esposa também podia exigir de um terço à metade da riqueza do marido. O sexo não era encarado em rígidos termos moralistas: uma mulher não era "culpada" de adultério se tivesse relações extraconjugais; uma mulher podia escolher seu marido (a maioria dos povos dessa época, permitia unicamente que o homem escolhesse uma esposa); os casamentos tinham duração de um ano, quando podiam ser renovados se houvesse mútuo consentimento; a homossexualidade masculina era comum e aceita, especialmente entre guerreiros.

Quanto as druidesas, embora muitos autores negam a sua existência é por não terem sido mencionadas por alguns historiadores da época como Júlio César, que nunca chegou até as ilhas, de onde provinham todos os relatos acerca das sacerdotisas. Entretanto, Pomponio Mela faz um relato sobre elas quando acompanhou Adriano até as ilhas britânicas: "havia na alta Caledônia mulheres sacerdotisas chamadas Bandruidh que, igual aos druidas varões estão divididas em três categorias..." e segue detalhando sobre o lugar que ocupavam na sociedade e as funções que exerciam.

As lendas nos narram episódios onde mulheres druidas eram relevantes na história, assim: Gáine como uma chefe druida, Aoife ou Aife, irmã de Deusa Scâthach, que com sua varinha converte em cisnes os filhos de Lyr. A Biróg, outra druidesa, que ajudou Cian a conhecer Eithlinn, feito muito relevante na mitologia celta irlandesa, pois dele nasceria posteriormente Lugh.



Muito embora a mulher celta fosse uma guerreira, ela se preocupava com a aparência. Trançava os cabelos, usava muitos adornos e até pequenos sinos em suas roupas para atrair a atenção do sexo oposto. Forte, mas feminina, pois sabia que era a única do gênero humano que podia dar vida. Sem descendência, não haveria família, nem clã, nem tribo. Com escassa descendência, sua tribo se tornaria menos numerosa, possuindo menos recursos, menos mãos para o cultivo e para guerra.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

SABINA


Vestida nas vestes persas
Rainha e governante
Patrona e Senhora dos Mecenas
Sábia senhora das artes e da Musica
Quem lê o que digo ou o houve pensa
"Está ai uma Mulher de muito estudo"
Mas eu nada aprendi a não ser com o fiar dos anos
e com o zumbido das abelhas

Não sou absolutamente uma mulher culta ou oculta
Sou apenas uma palavra e um eco inominável
Nem eu entendo o que digo
apenas digo
pois o que digo não deve ser lido e compreendido
Deve ser sentido
Não direi que sou uma Maré
Não direi que sou a Senhora de Todas as Coisas
Pois já não vale mais a pena dizer isto
Digo apenas compreenda e siga teu caminho
Pós o selo que sela tua alma é o mesmo que sela a minha

Sou apenas uma mulher-velha que viu e compreendeu um pouco do mundo
Já me basta acender ervas em brasa e cantar louvores
Se é desta maneira que pretendo viver
Terei de ir até o fim

Sou também meio difusa
quem me lê compreende que não compreendera o que digo
Paciência
Ciclos vem e vão
E eu volto
A Dentro de Mim

Sabina Alva

domingo, 21 de junho de 2009

EM RELAÇÃO AO TEXTO ABAIXO

Adília disse...

Fiquei sem perceber se você aceita sem mais esta treta das trocas de energia de sentido tão conveniente para a metade masculina da espécie humana.Qual é a ideia da autora? Se é justificar a supremacia masculina, não precisava dar-se a tanto trabalho, nesse campo os homens tem feito bem melhor.

21 de Junho de 2009 2:05

Gaia Lil disse...

Não que eu aceite este tipo de ideia mas a ideia da autora era concientizar as mulheres a respeito de suas energias.A supremacia masculina energetica nem sempre existiu.A mulher celta por exemplo seus filhos e sua concepção eram totalmente suas,o papel masculino de pai nem existia ela era a unica que tinha o direito de chamar os filhos de seus.A autora tambem fala de uma tecnica de resgate da energia chmada de recapitulação.Só que esta tecnica é naturalmente dificil.O mais faci ´para a mulher atual é se conectar a Deusa e a Terra e acompanhar seus cilos para ter uma maior carga de energia.O mundo não é justo com as mulheres concerteza mas a mãe natureza nos deu armas para enfrentar essa injustiça e essas armas são o contato profundo com os misterios do ser feminino e da natureza.Alem disso a muito se fala sobre sexo sagrado é este não é um roubo de energia e sim uma troca e uma transmutação.Como vê são muitas as alternativas para a mulher que sinceramente crê na cura através do Poderda Deusa e da Mãe natureza.HAH TAMBEM AMOR SINCERO ENTRE O HOMEM E A MULHER MAIS ISTO É MUITO ...RARO DIGAMOS ASSIM.Mais do que procurar um principe encantado a mulher deve estar em contato consigo mesma e com sua energia.

21 de Junho de 2009 9:27

sábado, 20 de junho de 2009

VAMPIROS DE ENERGIA


(...)Com a voz peremptória do mestre esclarecendo o neófito, ela explicou que
as mulheres, mais do que os homens, são os verdadeiros sustentáculos da ordem
social, e que, para cumprir este papel, elas foram educadas, uniformemente em
todo o mundo, para estarem a serviço do homem.
— Não faz diferença se elas são criadas como escravas ou se são mimadas
e amadas—observou ela.—A finalidade e o destino fundamental das mulheres
continuam sendo os mesmos: nutrir, proteger e servir os homens.
Clara olhou para mim, creio que para avaliar se eu estava acompanhando
seu argumento. Creio que estava, mas minha reação mais íntima era negar tudo
que ela estava dizendo.
— Isto pode ser verdade em alguns casos — concedi —, mas não creio
que você possa fazer tamanha generalização e incluir todas as mulheres.
Clara discordou veementemente.
— O lado diabólico da posição servil das mulheres é que ele não parece
ser simplesmente um ditame social
—disse ela—, mas um imperativo biológico
fundamental.
— Espere um momento, Clara — protestei. — Como você chegou a essas
conclusões?
Ela explicou que cada espécie possui um imperativo biológico para
perpetuar-se, e que a natureza proporciona instrumentos para assegurar a fusão
das energias masculina e feminina da maneira mais eficiente. Disse que, na esfera
humana, conquanto a função primordial da relação sexual seja a procriação, ela
também tem uma função secundária e velada, que é assegurar o fluxo contínuo de
energia das mulheres para os homens.
Clara enfatizou tanto a palavra "homens" que tive de perguntar:
— Por que você diz isto como se fosse uma avenida de mão única? O ato
sexual não é uma troca uniforme de energia entre homem e mulher?
— Não. Negou ela enfaticamente. — Os homens deixam linhas
energéticas específicas dentro do corpo das mulheres. Assemelham-se a tênias
luminosas que se movimentam no interior do útero, sugando energia
.
Isso me parece definitivamente sinistro — comentei ironicamente.
Ela prosseguiu com sua exposição em total seriedade. Elas são colocadas
ali por uma razão ainda mais sinistra — falou, ignorando minha risada nervosa
—, que é assegurar o suprimento constante de energia para o homem que
depositou essas linhas energéticas. Estas, estabelecidas através da relação sexual,
recolhem e roubam energia do corpo feminino, a fim de beneficiar o homem que
as deixou ali.
Clara falou com tanta certeza que não consegui gracejar e tive de levá-la a
sério.
— Não que eu aceite por um instante sequer o que você está dizendo,
Clara — falei —, mas, só por curiosidade, como chegou a uma conclusão tão
despropositada? Alguém lhe falou disso?
— Sim, meu mestre me falou a respeito. A princípio também não acreditei
nele — admitiu ela —, mas ele também me ensinou a arte da liberdade, o que
significa que aprendi a ver o fluxo da energia. Agora sei que estava certo, pois
posso ver os filamentos semelhantes a vermes nos corpos femininos. Você, por
exemplo, possui vários deles, todos ainda ativos.
— Digamos que seja verdade, Clara — concedi, inquieta. — Apenas para
continuar com o debate, permita-me perguntar-lhe por que isto seria possível?
Este fluxo de mão única da energia não seria uma injustiça com as mulheres?
— O mundo inteiro é injusto com as mulheres! — exclamou ela. — Mas o
problema não é esse.
— Qual é o problema, Clara? Acho que não percebi.
— O imperativo da natureza é perpetuar nossa espécie. Para assegurar
isto, as mulheres têm de carregar um fardo excessivo em seu nível energético
básico. O que significa um fluxo de energia que sobrecarrega as mulheres.
— Mas você ainda não explicou por que deve ser assim — insisti, já
começando a oscilar com a força de suas convicções.
— As mulheres são o alicerce para a perpetuação da espécie humana —
replicou Clara. — Grande parte da energia provém delas, não apenas para gestar,
dar à luz e nutrir sua prole, mas também para assegurar que o homem represente
seu papel em todo esse processo.
Clara explicou que, teoricamente, esse processo assegura que a mulher
alimente seu homem energeticamente através dos filamentos deixados por ele
dentro do seu corpo, de modo que o homem se torna misteriosamente dependente
da mulher em nível etérico. Isto fica claro na atitude evidente do homem que
retorna repetidas vezes para a mesma mulher, a fim de manter sua fonte de
sustento.
Deste modo, disse Clara, a natureza possibilita aos homens, além do
impulso imediato de gratificação sexual, estabelecer vínculos mais permanentes
com as mulheres.
— Esses filamentos energéticos, deixados nos úteros das mulheres,
também se fundem
com a composição energética do filho, caso ocorra a
concepção — acrescentou Clara. — Este pode ser o rudimento dos laços
familiares, pois a energia do pai se funde com a do feto e permite ao homem
sentir que o filho é seu.
Estes são alguns fatos da vida que a mãe nunca conta à
filha. As mulheres são criadas para serem facilmente seduzidas pelos homens,
sem terem a menor idéia das conseqüências do ato sexual em termos do
escoamento energético produzido em cada uma delas. Esta é minha opinião e é
isto que não é justo
.(...)

Trecho do Livro A Travessia das Feiticeiras,
Taisha Abelar

quinta-feira, 18 de junho de 2009

A DEUSA FALA:


A Preciosidade da Energia Feminina

Maria Madalena e as Vozes da Deusa através de Suzanne Gould 2007


Boa tarde, filhos do meu coração. Todos vocês são estimados por mim, preciosos além das palavras. Eu sou Maria Madalena. O que vocês desejam saber de mim? Vocês conhecem a minha herança? Um segredo na escuridão, isto é o que eu tenho sido por eons – a madona negra. Minha imagem foi dissimulada, difamada como parte da grandiosa ilusão. A Igreja Romana me chamou de prostituta, meretriz, a pervertida penitente. Mas de algum modo o meu legado foi mantido vivo... escondido. Agora eu retornei à luz Meu nome não é novo. Mas agora estou dando informações! Eu sou representada em livros, filmes, programas de televisão – como os tempos mudaram! Meu verdadeiro poder tem sido revelado, assim falando. Eu estou exposta.
Eu estou aqui para lhes dizer como a energia feminina é preciosa e quanto a voz feminina precisa ser ouvida neste momento. Mulheres – como portadoras das sementes de sua linhagem, vocês são da máxima importância. E vocês sabiam que o seu sangue e os fluídos do seu corpo são especialmente codificados? E as vozes da Deusa – virgem, mãe, idosa – estão se lamentando, se lamentando, se lamentando, sentindo a destruição da Terra. Vocês podem ter notado a quantidade extraordinária de chuva ultimamente e que os oceanos têm se desequilibrado. Os fluidos da Terra estão perturbados.

O Poder das Mulheres

Observem o que aconteceu às mulheres neste momento na história humana. As mulheres assumiram por algum tempo o papel tanto do masculino quanto do feminino. A energia feminina quer resplandecer no mundo, mas há ainda há estimulação a ser feita! As energias masculinas precisam fazer parte do equilíbrio. As mulheres usam muitos chapéus; freqüentemente elas são mulheres de carreira, esposas, mães, cozinheiras e donas de casa, todas em uma. Isto pode se tornar opressivo. Muitos – os médicos com os seus hormônios sintéticos, os políticos com as suas agendas exaustivas e inoportunas – não estão compreendendo as necessidades das mulheres.
As mulheres são intrinsecamente fortes, elas vêem o que precisa ser atendido e elas o fazem. Algumas argumentariam que elas são muito mais firmes na longa jornada do que os homens da espécie, capazes de executar várias atividades ao mesmo tempo, muito mais adaptáveis, intrinsecamente envolvidas pela cooperação ao invés da competição. E estes traços não são extremamente necessários no século vinte e um?
A questão para a mulher moderna é: “Eu posso ser única e eu mesma enquanto ainda trago a essência do que é feminino?” Por que vocês acham que tantos estão interessados em minha verdadeira natureza neste momento? Talvez a minha súbita revelação seja apenas um reflexo do que as mulheres estão finalmente se questionando: “Qual é a minha verdadeira imagem? Como eu quero ser vista no mundo? Os outros me vêem por quem eu verdadeiramente sou, ou eles vêem somente o que eles querem que eu seja – dócil, subserviente? Eu sou atraída pelo que os outros esperam de mim? Eu permito que os outros me vejam bem menos do que eu sou destinada a ser?”
Eu, Maria Madalena, levo a intenção de iluminar o divino, o poder sagrado do feminino. Eu encarnei nesta existência em particular, com o compromisso, a paixão e a excitação pela minha jornada, pela minha participação no drama divino. Nesta existência, eu fui sábia, sacerdotisa, amante, mãe, mística. Eu era algo como uma agitadora, e os homens deste tempo não sabiam o que fazer comigo. E, entretanto, eu não estava preocupada com o que os outros pensavam de mim, contanto que eu realizasse a minha missão. As pessoas sempre tiveram uma forte opinião sobre mim, de um modo ou de outro. Parece que eu trago opiniões extremas com a minha energia. Bem, eu sempre fui uma apaixonada.
A minha energia é magenta (cor carmesim brilhante), intensa, plena e vigorosa. Chamem-me e deixem que este campo de energia os envolva e os circunde. Eu quero revigorar a sua vida e trazer paixão a ela. Eu quero agitar o seu coração ao seu mais intenso chamado. O que faz você ser unicamente você?

Lembrem-se de Quem Vocês São


Eu quero ouvir o seu chamado. Muitos estão despertando agora, olhando para as suas vidas de um modo estimulante e dizendo: “Basta!” Subitamente elas estão observando o que está diante dos seus narizes e dizendo: “Não mais!” As pessoas estão desistindo dos empregos, abandonando os casamentos, mudando-se para longe, elas sentem o chamado. É um chamado intensamente pessoal, e ressonante e este é muito familiar. É o verdadeiro chamado de nossa própria alma. Vocês não podem negá-lo, pois ele é parte de vocês. Entretanto quanto tempo vocês têm se negado? Não eliminem a parte vital de sua própria paixão. Ao contrário, tenham a coragem de viver a sua própria verdade e de se expressarem em sua própria voz.
Se vocês segurassem a mão de todos e de cada ser no mundo, o que sentiriam? A vibração, o sangue da vida, o fio comum que bate e percorre todas as suas veias. E é isto o que os une em vitalidade. O seu sangue é mais precioso do que vocês pensam. Ele está codificado com a memória, não apenas da linhagem da sua família, mas de sua linhagem estelar. Quem são vocês? De onde pensam que surgem? Por que a sua fascinação com as estrelas e o seu impulso em alcançá-las? Lembrem-se, lembrem-se, lembrem-se quem são vocês? Uma vez que eu fui escondida nas névoas da história – e percebam que alguns a chamam de sua história e não da história dela – que é sempre escrita pelos vencedores. Agora, na verdade, eu sou re-lembrada. Re-membrada. Meus pedaços se uniram novamente, e eu me tornei íntegra. É o momento para o início do grande equilíbrio, da grande equalização. Foi o tempo do patriarcado por tempo suficiente. O feminino não surge. Ela se expande. Ela fui e reflui; ela espera e ela recebe. Imaginem que vocês sejam uma caverna que se abre para receber o mar. Secreto e profundo, quando o mar recua, vocês podem entrar, e quando o mar se eleva novamente, vocês estão cheios de água e escondidos. O feminino divino, o grande mistério: profundo como a caverna, mas mais, mais e mais repleta de significado. As Vozes da Deus se lamentam e aguardam. Elas querem ser ouvidas.


As Vozes da Deusa se Expressam

Eu sou o ventre da terra. Eu sou os sulcos dos campos. Eu sou a cúspide da lua. Eu sou as gotinhas da chuva. Eu sou as ondas do oceano. Eu venho com os feixes do trigo para alimentá-los, com cestas de frutas para abençoar a sua mesa e com água transparente e fresca para saciar a sua sede. Eu sou a essência generosa da vida. Eu sou a condutora das crianças, não para matarem e serem assassinadas, mas para apoiarem a vida, plantarem sementes, produzirem colheitas, nutrirem a vida. Ah, amor, amor, amor do meu coração, sejam verdadeiros comigo. Sejam verdadeiros com a Terra. Não sejam mais um seguidor dos caminhos insensatos. Corram ao vento comigo em seu cavalo selvagem. Deixem o seu cabelo fluir livremente. Encontrem o seu centro. Sintam a força que pulsa deste ponto. O centro é o ponto focal do padrão, como a tecelagem de uma rede de aranhas ou o lançamento do seixo que agita o lago. Comecem no centro e realizem o seu caminho para fora. Mas se vocês se distanciarem muito do centro, ficarão perdidos e preocupados em não poderem encontrar o seu retorno. Eu estou aqui para ser sentida por todos vocês. Eu sou uma força silenciosa. Eu estou implícita no silêncio, nas sombras. Vocês podem ter dificuldade em ouvir a minha voz, desde que o bramido do homem tem me subjugado muito. Mas eu ainda estou aqui. Voltem ao lugar mais simples, ao silêncio, à paz. É lá que vocês ouvirão a minha voz, sentirão o meu batimento cardíaco. Comecem pelo início.
Vocês estão complicando demais o seu mundo. A tecnologia desenvolve a tecnologia, e, entretanto, as coisas estão se afastando mais e mais da essência da vida. Vocês estão mais felizes? Estão mais satisfeitos? Vocês têm água pura para beber? Seus filhos estão mais saudáveis? Vocês têm ar mais puro para respirar? A sua vida está mais satisfatória? Vocês dormem mais sadiamente à noite? Seus animais sabem que a vibração da Terra está mudando. Todas as espécies estão mudando os seus padrões, mudando-se para lugares diferentes, desaparecendo completamente. O que levará a despertá-los? Eu estou ainda aqui. Esperando ainda. Esperando ainda. O Céu e a Terra devem se alinhar de um modo equilibrado – masculino e feminino, acima e abaixo. A minha mensagem é para a união e a harmonia. Não é muito tarde.

Maria Madalena Fala

Não foi sempre assim no planeta. Aquele conhecido como Jesus, o Cristo e eu reunimos o perfeito equilíbrio da energia masculina e feminina, tanto dentro de nós mesmos, como indivíduos e como complementos divinos. Este desequilíbrio das energias no momento presente não é a ordem natural, e nós confiamos que não será o modo do futuro. Eu lhes ofereço hoje a esperança que vocês podem ficar na verdade de quem vocês são e lutarem pelo equilíbrio. E como a minha identidade esteve por tanto tempo escondida, eu lhes darei uma palavra hoje sobre o véu que é colocado sobre o seu mundo. Há uma grande ilusão que lhes está sendo oferecida por aqueles que mantêm o poder em seu mundo.
A Grande Ilusão
É parte da grande ilusão que as mulheres têm menos valor do que os homens, mais fracas, mais frágeis, incapazes de estarem em posições de poder no mundo. Não é assim! Uma vez, grandes culturas da deusa matrilinear governaram a Terra. É parte da grande ilusão que a natureza é simplista e inútil e que vocês devem voltar às substâncias artificiais para a alimentação e a medicina. Não é assim! Pois a natureza mantém a chave para a saúde e a riqueza e ela está sendo destruída pela ganância da humanidade. É parte da grande ilusão que a sexualidade é um pecado e é insegura. Não é assim! Pois é a paixão que desperta o coração e a alma e é verdadeiramente uma dança sagrada. É parte da grande ilusão que vocês devem ser parte do tempo linear/relógio, seguirem uma escala artificial que a sociedade dita. Não é assim! Pois é mais natural seguir os próprios ritmos do seu corpo, moverem-se com o nascer e o pôr-do-sol e com a mudança das estações. É parte da grande ilusão que vocês vivem somente uma vez. Não é assim! Pois vocês fazem parte de um grande ciclo de reencarnações e, além disto, parte de uma grande dança cósmica que continua sempre, infinitamente. É parte da grande ilusão que vocês devem ter um mediador sacerdotal em seu caminho para Deus/Deusa. Não é assim! Pois todos vocês ouvirão, sentirão e viverão nesta energia divina a cada momento de cada dia, se tiverem a coragem de serem ela.
Vocês querem perpetuar a grande ilusão? Ou querem viver no centro de sua própria verdade? Masculino e feminino, cada um deve escolher. É o momento para que os homens de nosso planeta incorporem o seu lado feminino, como as mulheres já incorporaram o masculino. Isto criará um equilíbrio sagrado. O feminino divino deve ser honrado. Os aspectos da Deusa não exigem adoração; eles pedem somente que as suas vozes sejam ouvidas. Mulheres, assumindo o seu próprio poder, devem fazer com que as suas energias e a sua presença sejam conhecidos no mundo. Elas devem ensinar os modos do feminino divino aos homens do planeta, não compartilhá-los apenas entre outras mulheres. Elas devem fazer a sua marca sem vestir o manto do poder masculino, formando um caminho que inclua a cooperação e o cuidado entre todos os sexos, raças e espécies. Eu sou, em amor e serviço a vocês,
Maria Madalena.



Tradução: Regina Drumond
______________________________________________________________________




A importancia mulher como a profetiza da Deusa,este texto fala essencialmente disso ,neste mundo do Pai aonde é o Pai o Macho que sempre tenta calar a voz da Deusa usando de ardilosa neutralidade em suas profecias(Saint Germain?)uma mulher tem coragem de falar como a Grande Deusa Mãe e ainda tem o poder e a sabedoria de canalizar uma mestra antiga como Maria Madalena,isto ainda tem relação com o poema que escrevi a baixo( PORQUE MINHA ALMA NÃO CABE NO MEU CORPO) aonde acabo falando de como não aguento ser controlada e da minha necessidade de ser eu mesma e tanto me meus pensamentos e nas minhas emoções como na minha própria dignidade. Pois ouça mulher o meu Rogo:


Profetisai mulher falai em nome da Deusa e da Terra falai em nome de ti própria.

PORQUE MINHA ALMA NÃO CABE NO MEU CORPO


MINHA ALMA NÃO CABE NO MEU CORPO
por isso danço como uma louca
balançando o pulso pra frente e pra trás
por isso Danço como uma louca

Por isso leio todos os livros que me dão
Por isso me maquio e começo a correr pela rua
Por isso danço e grito
uivo e sibilo como uma loba


Quando tinha 10 minha professora me chamou de louca
Eu só queria desenhar
só depois aprendi a ler

PORQUE MINHA ALMA NÃO CABE NO MEU CORPO

Por isso danço como uma cigana louca
Porque minha alma não cabe no meu corpo
Por isso passo noites em claro sem dormir
Por isso jamais terei os filhos que minha mãe quer
Porque sou esterio e não tenho Útero
Porque minha alma não cabe no meu corpo

Por isso grito e fala da Deusa
Por isso sou profetiza-sacerdotisa
Porque minha alma não cabe no meu corpo
Por isso sou incontrolável
Por isso sou um demónio
Porque minha alma não cabe no meu corpo
Ah em mim um ser em chamas
Um ser feminino e sábio
Ele vibra sempre esta Chama Ardente
Pele?Lilith?Ísis?
Não sei
Minha alma não cabe no meu corpo

Será que é tão difícil de entender
Minha alma simplesmente não cabe no meu corpo
Por isso entro em transe
Porque meu espírito não cabe na minha alma
Que não cabe no meu corpo
que não cabe no meu mundo
que não cabe no meu tempo
que não cabe nesta vida
e nem nunca caberá
Minha ALMA É GRANDE DEMAIS É NÃO CABE EM MIM
Minha Alma é grande demais e não cabe no meu corpo
Digo o que Ísis Diz em seu Hino:
"Porque sou Escandalosa e Magnifica"
No fundo eu gostaria de ser "normal"

Quem sabe o mundo seria mais bondoso comigo?

MAS EU NÃO QUERO FINGIR
Por isso serei eu mesma ainda que seja destruída por isso
Porque minha alma não cabe no meu corpo.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

MULHERES & DEUSAS

As Mulheres são união
As Mulheres são compaixão
As Mulheres são Luz
As Mulheres são escuridão
As Mulheres são Coração
As Mulheres são carinho
As Mulheres são dor profunda
As mulheres são Sabedoria
Toda Junta.
As Mulheres são Amor
As Mulheres são Ardor
As Mulheres são Ousadia
As Mulheres são Rebeldia
As Mulheres são Tempo de Paz
As Mulheres são Tempo de Geia
Para todas as mulheres com muito carinho e para
a minha amiga Rosa Leonor
Do fundo do coração
Com sinceridade da alma
Da minha Alma
Da nossa Alma
Do Útero!!!

terça-feira, 16 de junho de 2009

A ROSA SABE...


Procura-se a identidade superior do SER MULHER
Por Rosa Leonor - Portugal

Ártemis era a Deusa grega protetora das mulheres, assim como dos animais, de qualquer fêmea grávida ou em trabalho de parto e símbolo da sua liberdade, sendo a "virgem" não porque intocada pelo homem, mas por ser senhora da sua vida e livre como o eram todas as Virgens de outrora, incluindo a Virgem Maria que foi mãe "solteira" - isto é, não se submetia a nenhum homem, mas a si mesma e à deusa de que Cristo nasceu.

Podemos invocar Ártemis se precisarmos da sua proteção e também a da terra e da Natureza, como podemos usar o seu nome para evocar a verdadeira natureza da mulher e o seu culto "pagão" que foi deturpado pela religião cristã.

Ártemis, na sua representação mítica, ocupa-se apenas de um espaço exclusivamente dedicado às mulheres. Seguindo esta senda de origem sagrada, as mulheres que sentem essa necessidade e só aceitam outras mulheres nas suas cerimônias religiosas designam-se em geral e a si próprias como Diânicas, segundo a deusa romana Diana, que era um outro nome de Ártemis - Artemísia (em português), dado mais tarde pelos romanos.

Hoje em dia, as mulheres de espírito "ártemis" defendem que as mulheres são de tal modo agredidas pela sociedade falocrática que precisam de espaços exclusivos para as mulheres para desse modo poderem ter voz e assim recuperar emocional e espiritualmente ao reencontrarem a sua identidade em contacto com o seu ser profundo.

Deste modo, considero que os espaços freqüentados só por mulheres que permutam a sua energia e conhecimento intuitivo usando "a voz do útero", podem ajudar-se umas às outras e conscientizar-se das suas muitas capacidades desprezadas pela sociedade de dominação masculina que as apelidaram de histéricas, e terem um efeito não só terapêutico como libertador nas suas vidas, almas e corpos "amputados" pela exigência dos conceitos vigentes e das estéticas ao serviço do imaginário masculino e de que são na sua grande maioria escravas.

Falo das mulheres em geral - independentemente da sua orientação sexual. Gostaria de ver as mulheres unidas e identificadas muito para além das suas pulsões sexuais! Ir para além das "Faces de Eva" ou das "lésbicas" que tão mal invocam a sua suposta Musa - a excelsa poetisa Safo -, para dar lugar apenas às expressões mais comuns da mulher e que deixam uma imagem parcial da própria mulher ao seguir estereótipos masculinos, como todas as mulheres o fazem, seja obedecendo-lhes, seja imitando-os...

SOFIA,SABEDORIA FEMININA


Sofia em grego, "hohkma" em hebraico, "sapientia" em latim, tudo significando sabedoria. Como deusa da sabedoria, Sofia possui múltiplas faces: Deusa Negra, Divino Feminino, Mãe de Deus.

Sofia é um aion (entidade de poder divino), filha de um par primordial de invisíveis e inefáveis seres transcendentais, chamados de Profundidade (masculino) e Silêncio (feminino). Deste par surgiram 30 emanações ou Aions, compostos de um Aion masculino e um feminino cada. Sofia separa-se de seu par, que em muitas variantes do mito é chamado de Vontade. Tendo perdido seu gêmeo, o seu amor divino é pervertido em "hubris" ou orgulho excessivo e arrogante. Ela abandona o caminho do "coração que compreende" (gnosis kardias) e vai em busca do conhecimento apenas do poder da mente.
[...]
Entretanto, sua paixão pelo conhecimento e seu desejo pelo pai-mãe tiraram de dentro de seu ser entidades curiosas, que subsistiram como criaturas vivas e impuras no abismo. Sofia neste instante, parece dividir-se em duas personalidades; uma mais elevada e outra inferior.
[...]
Do ponto de vista psicológico, Sofia pode ser definida como a personificação da necessidade de individualização. Sua história segue o padrão clássico dos quatro estágios do drama grego: o conflito, a derrota, a lamentação e a redenção ou solução conseguidas com o contato com o Divino. Este padrão quádruplo é a manifestação da imagem quádrupla da totalidade, celebrada por Jung.

Sofia, não é somente uma alma feminina, mas a alma de todas as coisas e pessoas. Todos nós estamos à procura da nossa totalidade. Assim como Sofia, vagamos por caminhos incertos, nesta frenética busca. A salvação do homem é a união com a mulher dentro da sua alma (anima), enquanto que a libertação da mulher depende da comunhão com seu gêmeo masculino (animus).

Sofia, grávida do conhecimento, convida-nos para beber de sua taça da sabedoria. Entretanto, o maior problema das mulheres hoje, é não se permitir abrir-se para o novo, pode ser para uma chuva que cai descompromissada, para uma nova relação ou um novo conhecimento.
[...]
***
Um tema actualissimo, o ser humano enquanto ser completo, abordado com o habitual tom encantado, abundância de referências e adequada banda sonora,
por Rosane Volpatto
*
IN:http://maraoluar.blogspot.com/2006/03/sofia-o-rosto-feminino-de-deus.html

A SOFIA


Sofia senhora da sabedoria
Sofia senhora que emana
Sofia senhora que cura
Sofia senhora que rasga e protege
Sofia senhora que canaliza
Sofia senhora que concretiza
Sofia senhora que sabe
Sofia senhora que vê
Sofia senhora que crê
Sofia senhora que sente
Sofia senhora que nasce
Sofia senhora que revigora
Sofia eterna musa Deusa e profetiza
Sofia portanto
Sofia no entanto
Aquela que colhe e que sabe
e que leva e drena para o fundo
para o fundo da alma
do ser
da essência
do Útero

domingo, 14 de junho de 2009

HAMADRÍADE



A MESMA CAUSA SÓ MUDA O NOME



É certo dizer que todos os sonhos e oráculos da Deusa são validos.Mas de certo modo vejo uma subtil manipulação do que vem a ser a Deusa nas profecias em que os canalizadores(geralmente homens)aonde Maria jamais se afirmou Deusa ou terra,apenas um instrumento do Todo-Pai o que não deixa de ser muito suspeito....Por isso em meu coração a mais facilidade em ver a Deusa em sua origem paga e essencial como a Senhora de todos os tempos do que ver em Maria a Mãe Santíssima a Deusa.Digo isto porque devo ser honesta com aqueles que me lêem e acompanham o meu blog,nesse ponto não sou tola é dizer que Maria não foi ou não é uma tentativa simbólica de resgatar a imagem da antiga Deusa Mãe é faltar descaradamente a verdade,mas ao mesmo tempo não podemos dizer que Maria é uma representação da Deusa em sua Totalidade e plenitude.Não quero ofender aqueles que rendem devoção a Maria como sendo a Deusa muito pelo contrario do meu ponto de vista temos que seguir a voz do nosso coração.



Para mim no entanto resgata a essência pagã da Deusa Mãe é de suma importância e citar mestras femininas da antiguidade assim como da actualidade é de uma importância ainda mais esmagadora,sendo assim peço desculpas se ofendi alguma mulher ou algum homem pelo que disse de Maria e gostaria de sustentar que a Deusa é todas as mulheres inclusive Maria a Mãe de Deus(antes Deusa Mãe).No fim é só mais uma questão de dogmas e de nomenclatura que não tem importância,o que importa é ouvir a sabedoria universal do Útero e dar a este o nome que desejar pois como me disse uma mulher sábia" a Deusa é todas as deusas" e por consequência é Maria já que esta é a única representação sagrada da mulher na actualidade.Mas no entanto falta em Maria o poder Matrilinear e a sabedoria que suas antepassadas(Ísis,Hator,Démeter,Inanna,Afrodite e Diana e muitas outras...)detinham é para mim a importância de resgatar o papel da Mulher como a sacerdotisa da Deusa Mãe é mais importante que dar enfoque ao poder da Santa.



MAS A DEUSA É E CONTINUA SENDO TODAS AS MULHERES QUE SE LIGAM A TERRA E A VIDA E É TAMBÉM AQUELAS QUE INFELIZMENTE AINDA NÃO FAZEM ISTO.



Então não importando o nome invoque a Deusa e permita que ela faça parte de você e da sua vida.gl

sexta-feira, 12 de junho de 2009

DEUSA DIANA


A importância do contacto espiritual mais profundo com a Deusa e e o crescente numero de livros com informações sobre sua mitologia e simbológico bem como seus rituais e formas de contacto com a Terra e natureza nos tornou possível criar um termo conhecido como thealogia,termo este que está intimamente ligado ao feminino sagrado e ao dianismo que é uma pratica na qual a mulher esta ligada a Natureza e sua profundidade interior


O nome Dianismo foi inspirado na faceta da Deusa greco-romana Diana a Deusa da caça e da lua protectora das mulheres por excelência,uma Deusa Virgem no sentido matriarcal da palavra(mulher livre e completa em si mesma) e não no conceito actual ou seja uma mulher que nunca teve relações sexuais.


As dianicas são mulheres que busca ligar se a sua essência interior através da Face virgem da Deusa,aonde ela é completa em si mesma.O Deus não é esquecido ou anulada,mas apenas visto como uma parte feminina da mesma,sendo assim a Deusa é masculina e feminina ao mesmo tempo.

Diana chega em nossas vidas para nos falar do resgate da individualidade interior e exterior,Diana prioriza a individualidade e um contacto mais profundo com as habilidades naturais e intuitivas das mulheres bem como a natureza.


Entrar em contacto coma Deusa Diana se torna importante para a mulher que deseja um reconeção com sua verdadeira essência e espiritualidade.g.l

O PAPA NADA SABE!!!!

Em sua primeira visita ao continente africano, o Papa Bento XVI disse “[A AIDS/SIDA] não pode ser superada através da distribuição de preservativos, o que apenas agrava o problema”.

A afirmação do Papa contradiz estudos sobre prevenção à AIDS/SIDA e significa um enorme retrocesso para décadas de trabalho em educação e conscientização. O Papa tem uma influencia moral poderosa sobre mais de 1.1 bilhões de católicos no mundo todo, e com 22 milhões de infectados pelo vírus do HIV na África, estas palavras podem afetar dramaticamente a epidemia colocando milhões de vidas em risco. Assine nossa petição pedindo para o Papa apoiar, ao invés de desdenhar métodos comprovadamente eficazes de prevenção à AIDS/SIDA.

http://www.avaaz.org/po/pope_benedict_petition

Isto não é uma disputa religiosa, e sim uma questão séria de saúde pública. Devemos respeitar a opinião pessoal de católicos e pessoas de todas as religiões. O compromisso do Papa por uma cultura de fidelidade e respeito pode ser útil na prevenção, mas apenas se for complementada pelo uso de preservativos. A igreja Católica contribui enormemente ao serviço social, incluindo o cuidado dado a pessoas vivendo com AIDS/SIDA. Porém a afirmação do Papa de que a distribuição de preservativos não é um método efetivo de prevenir a AIDS/SIDA não é compatível com estudos científicos sobre o tema. Esta afirmação é falsa e poderá ter conseqüências mortais.

A verdade é que o HIV e AIDS/SIDA podem ser prevenidos sim pelo uso de preservativos. Não há uma solução fácil para impedir a disseminação desta doença trágica, mas preservativos e educação são comprovadamente o melhor método para prevenção e que não levam ao comportamento de risco. Por isso que até mesmo padres e freiras trabalhando na África têm questionado o discurso do Papa.

Nós não podemos pedir que a Igreja Católica mude sua posição mais ampla neste assunto, mas estamos pedindo que o Papa pare de falar abertamente contra os estratégias de prevenção que funcionam. É importante que pessoas de todas as religiões, especialmente os católicos, digam ao Papa que é necessário ter cuidado em relação à este assunto. Assine abaixo e depois encaminhe este alerta para seus amigos e familiares – esta petição pode realmente salvar vidas:

http://www.avaaz.org/po/pope_benedict_petition

25 milhões de pessoas no mundo todo já morreram e 12 milhões de crianças se tornaram orfãs devido a esta terrível doença. Se um número grande de pessoas participarem deste apelo, poderemos vencer uma importante batalha por um mundo sem AIDS/SIDA.

________________________________________________________________________

Não estou muito surpresa pelo o que o papa disse....mais afinal porque ele tem de opinar sobre isso ele nada sabe sobre sexo....è apenas mais um destes queridos senhorios que nada sabem a não ser mutilar e dessacralizar o sexo e a mulher.

A Mulher católica vive num mundo de ilusões mais ou menos bem feitas quando não muito,ela nada sabe sobre si mesma ou sobre sua alma.....A alma católica é essencialmente hiprocrita em certas(muitas)coisas se não em todas.....Por isso não acredito nesse culto ao Deus menino que nada faz...por isso tenho dificuldade em ver Maria como a Deusa....eu já escrevi aqui sobre Maria como a Deusa uma vez,mas simbolicamente e espiritualmente esta troca não é valida.Maria nunca conseguira ser a Deusa em sua totalidade espiritual e Matrilinear e nunca conseguira nem ao menos ter o poder que a Deusa Demeter ou a Deusa Ísis tiveram....a mudaça simbólica da Deusa para a Mãe de Deus para mim em minha alma pagão não é valida, digo isto porque tenho muitas amigas enlouvadas que me mandam dezenas de mensagens "supostamente" canalizados de Maria quando na maioria esmagadora dos casos Maria só fala como intermediaria do Pai! e nem ao menos ela se afirma Deusa! muito pelo contrario ela deixa claro que é apenas um instrumento e não o poder divino encarnado...por isso sinto dificuldades imensas de conceber Maria como a Deusa...porque ela simplesmente não é.Outro fato que me deixa curiosa é que os homens em suma maioria são os canalizadores de Maria....Tudo bem que a luz não tem sexo mas se formos reflectir isso cheira muito suspeito.

ACEITAR NOMENCLATURA....

Como me disse uma mulher muito sabia "aceitar nomenclatura patriarcal é não querer sair do sistema..." eu concordo com isso,esto dizendo isto porque quando postei sobre homessexualidade e spiritualida um de meus leitores me enviaou uma mensagem....Não sei qual a intenção mais creio que ele usou de certa malicia....("rs") so não gostei do termo "bicha" ter entrada na conversação.....como todos sabemos este é um termo preconceituoso e criado pelos psedo machões do patriarcado que acham que todos aqueles que são diferentes deles(ou iguais...)

Enfim medo da propria sexualidade.....por isso não levo nem dou credito para pessoas que utilizam estes termos e dizem não serem preconceituosas....Como algumas lesbicas que em seus blogs feministas usam do termo "sapatão" que tambem é um termo preconceituoso.....Aceitar tal tipo e nomenclatura é propagar os mesmos preconceitos de sempre e não querer sair do lugar.

Por isso repudio os termo "bicha" e "sapatão"

Assim como eu tenho de notar que o termo homossexualidade n~~ao deveria ser usada...porque foi um termo para definir como uma doença....mesmo o termo gay ainda esta meio gasto...mas dentre todos os termos é o menos poluido e é aceitado entre mulheres e homens gays

quinta-feira, 11 de junho de 2009

DESPERTAR


Lena notou um certo cansaço em seu coração,havia muito tempo que ela se tornara uma executiva e avia se afastada da Deusa,havia se afastado de seu caminho mas ainda havia o sentimento da noite que crescia nela do lobo fenris que engole o sol,sentindo o poder da água fluindo nela sentindo o Útero emanado em si ,em volta de si,fora de si,destro de,SENDO-A.


Então ela lembro se do que sua avo avia lhe ensinada e o encantamento a Deusa Frigga

e do alto da sacada ela se ajoelha e evoca a Deusa:


E na calada do Noite sou todas as coisas

Não a nada que eu não seja

eu sou o mar e a cachoeira

eu sou a alta montanha

e sol o poder oculta nas relvas

sou sol,sou lua

sou o amanhecer e o anoitecer

Eu sou Frigga,Ísis,Hera,Nut,e muitas outras mais

sou todas as forças do mundo

sou o que a no submundo

Sou sua Essência

Ouça mulher,atente para minhas palavras

pois foi eu que te dei a vida

e te darei a morte

Ouça a voz daquela que fala pela sabedoria.

aquela que fala para a Deusa.


Lena deixou se cair de joelhos na sua sacada aonde observava o céu sem estrelas nem lua,e a voz disse"Como no inicio dos tempos,na época em que a mãe era Tudo,não a lua e não o sol e sim o Vazio e absoluto.



fico nessa reflexão durante vários minutos quando sentiu o sol nascendo

e recitou mais um encantamento erguendo os braços ao sol:


Dama dos dedos rosados ,Deusa Eos,senhora da beleza abra me os caminhos.


Então ela se despiu e deixou a luz de Eos envolve la deixou sentir o poder da Deusa penetrando no coração e abriu seu livro favorito:Antes do Verbo Era o útero....pois sim não a titulo melhor que este


E pegando taça de vinha que traze ra para a sacada derramou sobre seu corpo e disse:


"Ao Útero,pois ainda a mulheres que sabem deste segredo....e fazem o possível para que não seja um segredo"


Sim e aquilo fazia toda a diferença....

A GRANDE RAINHA: CLEÓPATRA



CLEÓPATRA, SUA VERDADEIRA HISTÓRIA



SUA ORIGEM

Sobre Cleópatra VII muito pouco se sabe e o que chegou até nós foi porque cruzou o caminho dos governantes romanos como Júlio Cesar, Marco Antonio e Otávio Augusto.

Sua família, de origem grega, havia se estabelecido no Egito através de sua conquista por parte do macedônio Alexandre Magno. No ano de 323 a. C. Ptolomeu Lagos já havia instaurado sua própria dinastia na terra dos faraós, fazendo de Alexandria a mais importante cidade da época. Foi através do historiador grego Plutarco que se soube a data de nascimento de Cleópatra. O autor fala no obra "Vida de Antonio" que a rainha do Egito havia morrido aos 39 anos. Sabendo-se que se suicidou em 12 de agosto do ano de 30 a.C., então ela nasceu no ano 69 a.C.

Cleópatra era filha de Ptolomeu XII, apelidado Auletes (tocador de flauta) e de Cleopatra VI Trifena, provavelmente irmã de seu marido. Não há confirmação de que Cleópatra seja filha da irmã-esposa de Ptolomeu XII e, inclusive cogita-se a idéia de que ela seria uma filha bastarda. Sua irmã mais velha chamava-se Berenice IV e a mais nova, Arsinoe. Como irmãos teve: Ptolomeu XIII e Ptolomeu XVI, com quem, de acordo com o costume egípcio, iria contrair matrimônio para tornar-se rainha.



SUA EDUCAÇÃO



Segundo Plutarco, Cleópatra dominava o arameo, o hebreu, o árabe, o etíope, o latim, etc., num total de 9 línguas. Sua primorosa educação, lhe proporcionaria a bagagem intelectual para, tempo depois, pudesse manipular personagens importantes da sua época com o único objetivo de manter o Egito como um estado independente.

Cleópatra podia tirar proveito do dia a dia da corte, observando as decisões políticas de seu pai, de origem bastarda, que chegou ao trono por não existir herdeiro direto. Mas, sua situação sempre foi marcada pelo temor de perder seu trono e isso o motivou a procurar apoio estrangeiro, que pode encontrar unicamente em Roma. Mediante o pagamento de inúmeras dádivas, Ptolomeu XII conseguiu ter o povo romano como amigo e aliado. Porém, sua má política interna e externa, fez com que perdesse a ilha de Chipre, tradicionalmente egípcia, motivando revolta entre os seus súditos e foi obrigado a abandonar Alexandria no ano 58 a.C.

Sem outro jeito, deixou o poder nas mãos de sua filha Berenice. Exilado e refugiado em Éfeso, dois anos mais tarde com a força das armas e a ajuda do governo romano da Síria permitiram que recuperasse o trono. Como sua filha Berenice reagiu e não quis lhe devolver o poder, mandou executá-la. Desse modo, Cleópatra alcança a primeira posição na linha sucessória.

Quando ficou muito doente, Ptolomeu XII tentou estabelecer uma monarquia colegiada entre seus filhos. Mas, ao morrer, no ano 51 a.C., é Cleópatra que sobe ao trono com apenas 17 anos de idade. Se casou com seu irmão Ptolomeu XIII que contava com 10 anos de idade, já que uma das normas da dinastia ptolomaica regia de que a rainha deveria ser casada.

Ptolomeu XIII, instigado por seus conselheiros, já aspirava matar a irmã-esposa para ficar com o trono do Egito. Há notícias de que no final de 49 a.C. Ptolomeu XIII havia sido declarado amigo e aliado do povo romano e colocado sob a tutela de Pompeu, já que era menor de idade. Cleópatra ante as circunstâncias, declarou guerra ao irmão e teve de fugir para a Síria, onde reuniu um exército para combater o irmão. Pouco depois, no verão do ano 48 a.C. pode organizar-se militarmente com seus fiéis partidários na cidade de Pelúsio.

Júlio César havia conseguido derrotar Pompeu em Farsália em junho de 48 a.C., porém esse pode escapar da morte fugindo para o Egito em busca de refúgio junto a Ptolomeu XIII, de quem havia sido nominalmente tutor. Entretanto, acabou assassinado. César chegou à Alexandria logo após esse crime e logo fica sabendo do enfrentamento entre os irmãos Ptolomeu XIII, governando em Alexandria e Cleópatra, acampada em Pelúsio.

Ptolomeu XIII morreu afogado no Nilo no ano de 47 a.C.



CLEÓPATRA E JÚLIO CESAR

Segundo conta a lenda, para conquistar César, ela se enrolou em um tapete, que o fez chegar até ele como presente. Quando ela saiu lá de dentro, o romano de 54 anos ficou maravilhado ante ao atrativo físico e a graça de uma jovem que só tinha 21 anos. No entanto, tudo não foi tão fácil para Cleópatra, pois Júlio César impôs a reconciliação entre os irmãos.

A tal reconciliação foi algo fictício, pois Ptolomeu XIII sempre havia desejado expulsar de Alexandria César. Durante quatro meses os exércitos greco-egípcios e romano se confrontaram em uma série de escaramuças, uma das quais finalizou com a queima da frota egípcia no porto alexandrino. As chamas também alcançaram os moles e edificações próximas, entre elas, a famosa Biblioteca de Alexandria, construída por Ptolomeu. Durante essas batalhas, acredita-se que Ptolomeu XIII morreu afogado no rio Nilo comandando sua frota. Em 15 de janeiro do ano 47 a.C. César controlava o Egito.

Morto Ptolomeu XIII, no estrito cumprimento do testamento depositado em Roma, César entregou o poder a Ptolomeu XIV, que só tinha 6 anos, obrigando a Cleópatra, que já era amante do romano, a casar-se com seu irmão e formar um novo casal real.



Apesar de César estar muito envolvido com Cleópatra, decide voltar a Roma, mas a deixa grávida de um filho seu. Em 27 de junho de 47 a. C., nasceu Ptomoleu César, que o povo egípcio chamou de Cesarión.

No ano seguinte, com seu marido e filho parte para Roma, onde é recebida como uma rainha por César, mas para o povo romano ela não era mais do que sua amante. Esta viagem, independente de outros valores, nos revela o interesse por conhecer os costumes romanos e inclusive o desejo de uma oriental por ocidentalizar-se. Cleópatra permaneceu um ano e meio em Roma, em uma cidade que não podia se comparar com a bela Alexandria. A rainha estava protegida por César, mas tinha a esperança de alcançar uma união legal, o que nunca aconteceu.

César, nunca se importou com o povo, que não gostava da egípcia e construiu em sua honra uma estátua de ouro no templo de Vênus. Porém, o descontentamento era tal, que em 15 de março de 44 a.C., Júlio César foi assassinado durante uma reunião do Senado romano.

A morte de César, truncou os planos, mais políticos que pessoais de Cleópatra. Não só o assassinato, mas também o conhecimento do testamento de César, em que tornara seu único herdeiro Otávio, filho de uma sobrinha-neta por parte de sua irmã, fizeram a compreender que momentaneamente deveria renunciar ao seu sonho. Sua vida e de seu filho corriam perigo e logo retornou ao Egito, esperando o desenrolar de novos acontecimentos.



CLEÓPATRA E MARCO ANTÔNIO

Cleópatra, de volta ao Egito, sabia que ela não poderia manter a unidade de seu reino contra a invasão dos romanos e que seria necessária uma outra aliança para que não fosse atacada. Decidiu então conquistar Marco Antônio, outro membro do Triunvirato que governava a República Romana. Contam que para conquistá-lo, preparou uma grande festa em sua honra, onde não faltaram presentes, belas mulheres e onde se utilizou de todos os seus encantos para seduzi-lo. Marco Antônio não pode resistir à Cleópatra e durante um ano viveram em festa permanente. A rainha ficou grávida de gêmeos, mas o romano não pode vê-los nascer, pois no começo do ano 40 a.C., teve que retornar à Roma, pois Fúlvia, sua esposa, participava de uma conspiração contra Otávio. No final do ano sua esposa morreu e firmou um acordo de paz com Otávio e em sinal de amizade, se casou com a irmã deste, Otávia.

Cleópatra seguiu reinando o Egito. Quatro anos depois Marco Antonio regressou e tiveram seu terceiro filho, Ptolomeu Filadelfo. Durante algum tempo, Marco Antônio não obteve êxito em suas conquistas, perdendo muitos soldados e terras, até que finalmente invadiu a Armênia e regressou triunfante à Alexandria. Cleópatra foi coroada "Rainha dos reis" e todos seus filhos receberam títulos reais.

Cesários, com 13 anos, foi proclamado "Rei dos reis"; Alejandro Helios, de 6 anos, foi nomeado rei da Armênia; Cleópatra Selena, Rainha de Cirenaica e Creta, também com 6 anos; Ptolomeu Filadelfo, com só 2 anos, rei da Ásia Menor.

Marco Antônio e Cleópatra eram fortes aliados e tinham grandes ambições. Recuperaram alguns territórios que a família da rainha havia controlado no passado. Porém Otávio sabendo da ambição de ambos, informou ao Senado romano que Marco Antônio era um traidor. Também tinha tomado o divórcio de Marco Antônio com sua irmã uma ofensa.



O FIM DE CLEÓPATRA

No final de 32 a.C., Otávio declarou guerra à Cleópatra e ao Egito. Marco Antônio atuou na guerra como aliado de Cleópatra contra Roma. Chegaram à Grécia temendo um ataque que levara a perder esse território. O que realmente aconteceu é que os soldados romanos foram vencendo o exército de Marco Antônio, capturando seus fortes e afundando seus barcos.

Pouco a pouco a situação foi piorando, e desesperados, Antônio e Cleópatra decidiram atravessar o cerco romano. Foram derrotados na famosa batalha de Accio (Actium), enquanto Cleópatra conseguiu fugir com sua frota regressando à Alexandria, onde entrou triunfante como se tivesse conquistado uma grande vitória, para evitar que seus inimigos no Egito não a deixassem entrar ao saber que havia sido vencida por Otávio.

Marco Antônio estava desiludido com a desonra e decidiu ocultar-se na ilha de Faros, sem querer ver ninguém. Enquanto isso, Cleópatra seguia pensando na forma de continuar seu governo. Otávio já não tinha suficiente ouro para pagar os exércitos, por isso não poderia atacar tão cedo. Porém se sabia que ele voltaria em busca das riquezas do Egito.

Um tempo depois, Marco Antônio saiu de seu retiro e unindo-se a Cleópatra de novo voltaram a realizar festas no palácio.

Um ano depois, receberam a notícia da chegada de Otávio, e Cleópatra temendo sua reação, lhe enviou uma carta oferecendo-lhe o Egito com a condição de que seus filhos governassem. Porém Otávio não respondeu, pois sua idéia era governar sozinho.

Marco Antônio reuniu seu exército para enfrentar Otávio, mas seus soldados desertaram e culpavam Cleópatra, que assustada com a ira do romano se encerrou num mausoléu. Corriam rumores que a rainha egípcia havia se suicidado. Marco Antônio enlouquecido se cravou sua espada, justamente no momento em que o secretário de Cleópatra chegava com a notícia que ela estava viva. Foi levado então até a rainha e morreu em seus braços.

Pouco depois, com a idade de 39 anos, morreu Cleópatra, a última rainha do Egito. Morre a grande mulher e nasce o mito.



O MITO DA MULHER DE PODER



Sem sombra de dúvida, Cleópatra jamais foi esta mulher tão hostilizada pela literatura greco-romana. Ela é, antes de tudo, uma personagem que tem despertado o interesse de um grande número de historiadores e o que sabe-se hoje, é que a imagem fornecida pela literatura antiga está impregnada de conceitos equivocados, nos forçando a encarar Cleópatra como uma governante ambiciosa e uma mulher desprovida de sentimentos que utiliza sua sexualidade para alcançar objetivos maiores. Na realidade, esta rainha nem tinha tantos encantos assim, mas se utilizava de um cérebro masculino, que aspirava pelo poder.

A superioridade do Ocidente frente ao Oriente, somada à oposição do masculino pelo feminino foram os elementos que desencadearam a luta entre Cleópatra e o romano Otávio.

Graças a recentes publicações, nos foi possível conhecer um pouco mais da Rainha Cleópatra. É hoje, de nosso conhecimento, o seu paralelo papel de mãe, sempre preocupada com o futuro de seus filhos. Os alguns episódios da vida desta mulher que nasceu no ano de 69 a.C. e morreu em 30 a.C., nos permite contemplar uma rainha que refletia e calculava detidamente todas as suas decisões, tendo sempre em conta os interesses do seu reino e de seus filhos. A opção pelo suicídio é prova cabal destes fatos.

Cleópatra lutou até o fim para preservar a independência de seu reino e se equivocou ao pensar que poderia derrotar Roma. A sua enorme popularidade não só no Egito, revelam que efetivamente ela havia sido uma extraordinária mulher e uma rainha-regente muito competente. Sua memória foi honrada através dos séculos pelos egípcios, porque eles sempre entenderam as atitudes e comportamento desta mulher que antes de tudo, queria reinar um Estado livre, sem a presença romana.



CLEÓPATRAS ATUAIS



Hoje, mais do que nunca, encontramos mulheres que conseguiram posições executivas, gerenciais e profissionais, com todos os poderes e responsabilidades que isso acarreta. Seus problemas, portanto, são de mulheres importantes e, as soluções que darão a eles serão diferentes das dos homens, porque são intrinsecamente diferente deles. Biologicamente, as mulheres são diferentes em estrutura e potencialidade. Psicologicamente, os valores femininos tendem a ser ordenados de forma diferente, de forma que suas prioridades podem não se alinhar da maneira como os homens fazem. As escolhas das mulheres são estruturadas em grande parte por relacionamentos. Ao contrário, os relacionamentos entre homens tendem a ser estruturados largamente pelas escolhas que fazem.

Parece que os conflitos psíquicos mais profundos surgem quando se vive de uma forma fortemente unilateral, voltado para a identidade ou para o relacionamento. A mulher bem-sucedida no mundo masculino e que também tem conseguido manter um lar com filhos e marido, está começando a entender o preço demasiado caro que lhe é cobrado para estabelecer sua identidade. Tem sido mais difícil para ela do que jamais pensara que fosse, pois teve que fazer tudo o que os homens fazem e mais, porque ainda carrega a responsabilidade primária de cuidar da família.

Esta mulher sofre com a recusa ou impossibilidade de conviver com ela mesma. Acaba oscilando entre o desespero e a culpa: desespero de saber que nunca poderá estar completamente segura em um mundo de valores patriarcais; culpa, porque mesmo que consiga o reconhecimento neste mundo, uma parte muito importante de seu ser, seu Eros, terá que ser sacrificada no processo. A posição de um ego voltado para objetivos da identidade, reconhecimento e poder dá margem a uma sombra, uma contraparte inconsciente inferior que recusa significado e reprime o sentimento. A mulher nesta posição pode facilmente ser dominada pelos valores patriarcais ao seu redor. Ela poderá então, se tornar ausente em relação ao filho ou marido; uma mulher fria e distante. Por dentro, entretanto, ela é um caldeirão de contradições. O lado feminino, que em sua totalidade baseia-se na função maternal, será vista por esta mulher como uma ameaça à sua identidade.E, deste modo, a mulher fica dividida entre estes dois conjuntos opostos, que acredita que a sociedade impõe à ela. Mas será mesmo que a sociedade impôs isso?

Não podemos negar que em grande parte somos condicionados pela sociedade. Nossos condicionamentos começam quando nascemos, quando começamos a perceber as expectativas de nossa mãe e depois do mundo inteiro. Mesmo assim, se pudermos acreditar que somos algo mais do que condicionamento, que viemos para este mundo com padrões arquetípicos impressos, então, diante de tudo que nos é oferecido, teremos alguma escolha quanto aos padrões que vamos ultrapassar, quais aceitar e quais recusar.

Pode uma sociedade livre impor alguma coisa a alguém se a pessoa não concorda tacitamente com isso? Quando se percebe que nos foi ensinado a seguir a multidão sem querer pensar, podemos descobrir que afinal de contas ainda temos alguma escolha.



RITUAL DE ENSAIO PARA A MORTE

Sabemos que a vida neste corpo e nesta terra é curta. À medida que envelhecemos, nos tornamos mais conscientes desse simples fato. A vida acabará em breve. Já não nos sobra muito tempo dela, talvez mais vinte anos, talvez apenas mais dez, talvez haja apenas amanhã. Será que então passaremos esses poucos dias preciosos oscilando para frente e para trás entre a culpa de termos sido insuficientemente amorosas e a vergonha de não termos conseguido tudo que éramos capazes de conseguir? Será que desperdiçaremos esse tempo precioso desejando que fossemos melhores em uma coisa ou em outra?

Acho que o que necessitamos é ensaiar o último ato do nosso drama terreno, que é o unico sobre o qual se tem certeza e para o qual estamos menos preparadas. Estou falando do ato de morrer. Pois vamos então ao nosso ritual.

Escolha um lugar agradável, de preferência ao ar livre ou que você possa observar o céu.

Sente-se com a coluna ereta, se preferir pode deitar-se. Mantenha os olhos fechados e esvazie sua mente. Inicie a respiração abdominal, procure encher completamente a barriga e os pulmões. Inspire pelas narinas e expire o ar pelos lábios entreabertos. Vá aumentando a intensidade respiratória por pelo menos 6 vezes.

Imgine-se agora em seu leito de morte. Sinta a vida escoando-se lentamente. Só há uma coisa para você fazer agora: deixar-se ir. Deixe as tarefas e preocupações deste mundo se esvaírem. Deixe sua própria identidade se esvaziar. Deixe tudo, sua casa, suas posses, seus sentimentos, seus pensamentos. Deixe-se levar. Você começará a se sentir mais leve. Perderá toda a carga pesada que estava levando e flutuará no espaço. Você está saindo de seu corpo, está morrendo. Você perceberá o quanto tudo é temporal quando encara a morte.

Caminhe livremente pelo espaço e tente encontrar a entrada de uma caverna, quando achá-la entre nela. Como se fosse a ponta de um aspirador o buraco negro que a(o) sugará para baixo, deixe-se cair sem medo. Pense que você está deslizando em um escorregador. No fim do túnel haverá uma luz muito forte. Tente ficar em pé e aguarde que alguém virá buscá-la(o). Quando isto acontecer, é importante avisar que você ali se encontra para uma rápida visita.

Peça então para conversar com um Mestre. Quando ele surgir, observe sua aparência, a forma com que surge, os mínimos detalhes. Conserve com o Mestre e peça-lhe o que for necessário para compreender este momento. Entregue-se a esta sensação, registre as imagens e palavras e guarde tudo em seu coração. Se Ele lhe oferecer para dar um passeio, não recuse a oferta, não tenha medo, pois você verá o que lhe for permitido ver e o conhecerá o que necessita conhecer.

Depois despeça-se do Mestre, faça-lhe uma reverência e agradeça o contato. Retorne então à saída da caverna. Agora, você será puxada(o) para cima e novamente se encontrará solta(o) no espaço. Localize seu corpo e lentamente volte para ele, carregando as mensagens recebidas e agora, consciente do caminho a seguir.

Abra os olhos, espreguice e permaneça deitada (o) alguns instantes assim.

SEJA BEM-VINDA(O) AO MUNDO DOS VIVOS!

Este ensaio de morte, não é coisa fácil, mas a consciência da morte, pode nos ajudar a contentar-nos com fazer um pouco menos e um pouco mais devagar. Talvez o que realmente importa é aceitar de bom grado o que a vida nos oferece.

Não sabemos se ainda temos vinte, quarenta anos ou apenas um dia para pôr em prática o que quer que a vida nos oferece em sua agenda. Por isso, talvez não devêssemos lutar tanto pelos aplausos, porém mais pelo prazer e a graça da dança.

PENSE NISSO!



Texto pesquisado e desenvolvido por

Rosane Volpatto

A.Weegall : " The life and Times of Cleopatra ". Londres , 1914 .

M.Heim : " Cléopâtre ". París, 1962 .

- J.Benoist - Mechin : " Cléopâtre ou le Rêve evanoui ". Lausa ,1964.

M.Peyramoure : " Cleopatra " . Barcelona , 1959 .

- Enciclopedia Universal ilustrada , tomo XIII : " Cleopatra ".